Thumbnail

FoodTech

Tudo o que você precisa saber sobre FoodTechs no Brasil

Content Driven
Content Driven
30/01/2024 10:30
As Foodtechs estão ganhando cada vez mais espaço no Brasil. Não à toa, cresceu também o número de investidores de olho nesse mercado. 
A mais conhecida delas é o iFood, plataforma de delivery de alimentos que, em 2022, impactou 0,53% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, graças aos seus R$ 97 bilhões em vendas naquele ano.
Se você está à procura de um setor altamente lucrativo e em pleno crescimento, leia este conteúdo até o final e saiba como as Foodtechs estão revolucionando a maneira como nos relacionamos com os alimentos. 

Afinal, o que são Foodtechs?

São startups voltadas ao ramo da alimentação. As Foodtechs surgiram como as grandes catalisadoras de transformações no modo como compramos, consumimos e vendemos alimentos. 
Elas podem atuar em diversas áreas, desde a produção e processamento de alimentos até a entrega e experiência do consumidor. Sua única restrição é estar ligada ao segmento alimentício. 
No próximo tópico, você irá descobrir quais são os principais tipos de Foodtechs e isso ficará ainda mais claro.
Em geral, podemos dizer que a missão dessas startups está atrelada à eficiência, sustentabilidade e inovação para a indústria de alimentos.

Categorias de Foodtechs

Ao todo, são 7 categorias de atuação em que uma Foodtech pode se enquadrar. 
Veja as principais características de cada uma delas abaixo.

Super Foods & CPG

Nesse tipo, as Foodtechs utilizam tecnologia e matéria-prima alternativa para criar novas categorias de alimentos e/ou bebidas.

Food Delivery & Logistics

Aqui, entram os serviços de entrega de alimentos para o consumidor.

Smart Kitchen & Restaurant Tech

O maior foco, aqui, fica nas aplicações usadas para melhorar a gestão dos processos internos e aumento de eficiência de uma cozinha.

Farm to table

Busca aproximar o produtor do consumidor, diminuindo o número de intermediários no processo.

Food Safety & Traceability

Aqui, as soluções tecnológicas são o centro. O principal objetivo é utilizá-las para aumentar a vida útil dos alimentos e ajudar na identificação do que não está adequado para o consumo. Nesta categoria, entram também as soluções de rastreabilidade da cadeia de suprimentos.

Consumer Apps & Services

São aplicativos com informações sobre melhores formas de alimentação e nutrição, muito voltado ao consumidor final. 

Waste Management

Traz soluções para reduzir o desperdício de alimentos, distribuindo-os para o consumo por meio da conexão com outros setores da cadeia alimentícia.

FoodTech: 5 Exemplos de startups brasileiras

Após essa breve explicação sobre o cenário das Foodtechs, que tal conhecermos 5 empresas desse setor que estão fazendo o maior sucesso?
Veja abaixo. 

Liv Up

Tornou-se um serviço de entrega de alimentos saudáveis ultracongelados. Seus produtos são feitos com ingredientes orgânicos, vindos da agricultura familiar
A Foodtech ainda oferece um delivery de pizzas e saladas para consumo imediato.

Raízs

Seu maior objetivo é conectar consumidores que buscam uma alimentação saudável com mais de 800 pequenos produtores rurais. 
A Foodtech distribui itens de mercearia, horta, laticínios, bebidas, ovos, aves, pescados e carnes via plataforma online. 

Pratí

Também é uma Foodtech com foco na alimentação saudável. Afinal, ela trabalha com alimentos 100% naturais, livres de aditivos e conservantes. 
Os produtos também são ultracongelados e embalados à vácuo para garantir que os nutrientes permaneçam até chegar ao consumidor final. 

Food for Save

A Food for Save é uma startup brasileira que atua no combate ao desperdício de alimentos. 
Seu objetivo é conectar estabelecimentos comerciais a consumidores finais, oferecendo produtos próximos do vencimento a preços reduzidos.

Beleaf

Beleaf é uma Foodtech brasileira que também foca na redução do desperdício, especialmente no âmbito vegetal. 
A empresa utiliza ingredientes que seriam descartados para criar produtos alimentícios como snacks saudáveis e massas frescas.

Conheça as tendências do setor

Agora que você compreendeu mais sobre as Foodtech e viu alguns exemplos de como pode ser sua atuação, descubra as principais tendências deste segmento. 

Alimentação Personalizada

A crescente demanda por uma alimentação personalizada para cada objetivo de uma pessoa, impulsiona as Foodtechs a explorar produtos naturais para a criação de receitas únicas.

Sustentabilidade em Foco

A conscientização ambiental está incentivando Foodtechs a adotarem práticas sustentáveis em toda a cadeia, desde a produção até o descarte de resíduos.

Inteligência Artificial na Alimentação

O uso de IA para criar novas receitas, otimizar processos de produção e, até mesmo, personalizar a experiência alimentar ganha destaque nas projeções dos próximos anos. 

Automação Diária

Supermercados e restaurantes podem aproveitar a automação para garantir processos mais rápidos e eficientes. 

Enquete

As ferramentas de IA estão se tornando cada vez mais populares e acessíveis, com diversas opções disponíveis para diferentes necessidades. Qual delas você mais utiliza?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão