Thumbnail

Tendências e Revoluções Silenciosas

Allan Costa

Allan Costa

Allan Costa é empreendedor, investidor-anjo, mentor, escritor, motociclista e palestrante em dois TEDx e em mais de 100 eventos por ano. Co-fundador do AAA Inovação, da Curitiba Angels e Diretor de Inovação da ISH Tecnologia. Mestre pela FGV e pela Lancaster University (UK), e AMP pela Harvard Business School.

Identificando tendências

Como perceber as Revoluções Silenciosas

13/10/2021 14:34
Em meu último artigo, discorri sobre as Revoluções Silenciosas: revoluções tecnológicas que acontecem por anos sob o radar do mainstream e acabam por mudar diversos aspectos da sociedade. A internet, as redes sociais e os smartphones são ótimos exemplos.
Para reforçar este ponto, argumentei o quão impactantes foram estas tecnologias e que, no início de boa parte delas, 99% da população não estava prestando atenção. Não apenas isso, muitas vezes quando essas tecnologias, em seu estágio embrionário, chegam às notícias ou começam a ser discutidas pelas pessoas, elas são tratadas apenas como brincadeiras.
Este é um ponto defendido pelo especialista em tecnologia Chris Dixon: “A próxima grande novidade vai começar parecendo um brinquedo”. Este foi exatamente o mesmo padrão seguido pela internet, redes sociais e smartphones.
Lembre-se do início do Facebook, Instagram e Twitter, por exemplo. Críticas a essas redes seguiam padrões como: “só são utilizadas por universitários”, “só servem para fotos de gatinhos”, “só servem para fotos de pratos de comida”. Hoje, negócios inteiros são baseados nessas plataformas.
Fica, então, a grande questão: se existem diversas revoluções silenciosas acontecendo a todo momento e elas não estão no mainstream, ao mesmo tempo em que não apresentam grandes oportunidades, como podemos descobri-las?
É importante dizer que não existe uma fórmula. Tentar prever tendências e novas tecnologias é muito difícil. Acertar o timing, mais difícil ainda. Existem algumas pistas, mas não respostas simples.
O primeiro ponto é tentar não confundir tendências com ondas e modas. Ondas têm um grande impacto em muito pouco tempo, mas não são responsáveis por grandes mudanças comportamentais. Ondas vêm e vão de forma muito rápida. Modas são incorporadas em nossa rotina de forma consciente, duram mais tempo que as ondas - embora tenham menos impacto que elas - e também não são responsáveis por grandes mudanças comportamentais. Qualquer semelhança com o Clubhouse não é mera coincidência.
As tendências, por outro lado, começam de forma muito mais silenciosa do que as ondas e modas, mas sua duração e impacto são maiores. São responsáveis por grandes mudanças comportamentais na sociedade. Essas grandes revoluções quase sempre estão ligadas a tecnologias de base revolucionárias. E essas tecnologias não são apenas grandes invenções, elas devem ser capazes de modificar nosso comportamento.
Outro ponto importante de prestar atenção é: essa tecnologia, apesar de ser desconhecida ou não compreendida por 99% da população, já movimenta uma quantidade significativa de dinheiro? Pense na internet no início dos anos 90. Ela ainda não era amplamente difundida, mas já movimentava milhões de dólares. Outro ponto importante é perceber o potencial de desenvolvimento daquela tecnologia ou área.
Muitas dessas tecnologias começam longe do ideal. Elas são caras, a interface do usuário é horrenda, as funcionalidades são complicadas e elas são lentas. Pense no início da internet: as conexões eram rudimentares, a forma de uso era ruim, os planos eram caros. Em 1990, poderia parecer loucura a internet chegar ao ponto onde estamos hoje.
Por fim, no início destas revoluções silenciosas é bastante comum que comunidades de fãs e entusiastas apaixonados e de perfis diversos falem sem parar sobre o potencial dessas tecnologias. Fique atento a essas comunidades, elas podem ser um ótimo indicativo do que está por vir.

Enquete

Imagine a possibilidade de criar vídeos realistas com ferramentas de inteligência artificial, como o Sora. Você teria interesse em utilizar uma ferramenta como essa no futuro?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão