Thumbnail

“As vezes ficar calado é a melhor resposta que se pode dar a alguém que se posiciona de forma autoritária e até mesmo prepotente”, aconselha João Kepler na coluna da semana.

João Kepler

João Kepler é empreendedor que investe desde 2008. Premiado como melhor Investidor Anjo do Brasil pelo Startup Awards. É diretor na FIESP e na ASSESPRO; conselheiro na ACE, ANPROTEC e ACSP; apresentador do Reality Show [O ANJO Investidor]. Autor de vários livros e conselheiro da Gazeta do Povo.

Análise

É melhor ser feliz do que ter razão

11/03/2021 12:33
Se você me segue nas redes sociais provavelmente já me viu afirmar que eu realmente prefiro ser feliz do que ter razão, mas o que isso significa no dia a dia? Que em diversas situações, quando alguém fala e eu fico calado, não quer dizer que estou concordando, mas é porque eu prefiro naquele momento ficar em paz, não argumentar para não causar uma discussão que pode ser evitada.
E sabe porque tenho adotado essa postura? Tenho me valido justamente da razão, das experiências vividas para controlar minhas emoções e não direcionar energia para o que não irá me agregar em nada.
Note que a razão é a capacidade da mente humana que permite chegar a conclusões a partir de suposições ou premissas. É, entre outros, um dos meios pelo qual os seres racionais propõem razões ou explicações para causa e efeito. A razão é particularmente associada à natureza humana, ao que é único e definidor do ser humano.
Então por que não usar este acúmulo de experiências a nosso favor? Algumas pessoas acham que precisam se posicionar sempre, gritar mais alto e até mesmo mostrar que estão com razão. Um erro, afinal, as vezes ficar calado é a melhor resposta que se pode dar a alguém que se posiciona de forma autoritária e até mesmo prepotente.
Ainda acredito naquela máxima que diz que na vida, para ser feliz não é preciso ter e sim ser. Então meu alerta é neste sentido, se puder escolher não vá ao encontro do ter, mas valorize o ser. Ser amigo, ser admirado, ser humano... ser feliz.
Todos nós somos formados por um emaranhado de sentimentos que passam basicamente pela razão e as emoções. A maioria dos estudos sobre esse processo de decisão garante que geralmente a emoção ganha. Isso ocorre porque a razão ocupa um nível mais elevado na escala do desenvolvimento das experiências subjetivas. É preciso mais experiência, mais tempo, maior habilidade para construir razões do que para deixar as emoções fluírem. E mais do que tempo, isso requer sabedoria.
Na verdade, não existe uma linha que separa a razão da emoção, os impulsos do autocontrole. São dimensões que estão sempre atuando em conjunto dentro de cada ser humano. As emoções dão origem a certos pensamentos, e os pensamentos por sua vez, dão origem as ações.
As emoções nos influenciam mais do que a razão porque estão em uma área mais primitiva do nosso cérebro e, portanto, mais profunda. Elas são a base de tudo o que somos. Já a razão é como uma ferramenta com o qual polimos e esculpimos as nossas emoções, algo que nos ajuda a viver melhor. Ou seja, aprenda a utilizar a sua razão para ser feliz.

Enquete

No Google for Brasil 2024, a gigante de tecnologia anunciou diversas novidades para o mercado brasileiro. Dentre elas, qual lhe chamou mais a atenção?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão