Thumbnail

Confira três tecnologias que estarão em alta no food service em 2023.

Gustavo Almeida*

Alimentos e Tecnologia

Saiba quais são as tecnologias que estarão em alta no food service em 2023

04/01/2023 14:11
De acordo com a pesquisa Fispal Food Service, 75,5% dos operadores de food service no Brasil acreditam, em algum nível, que seus estabelecimentos deveriam ter mais tecnologia, enquanto 48,6% deles classificam os recursos tecnológicos e digitais como presentes nos empreendimentos.
Neste cenário, Gustavo Almeida, CEO da Take, rede de smart vending cooler - nome dado às geladeiras inteligentes de bebidas alcoólicas e não alcoólicas em áreas residenciais e comerciais - listou três tecnologias que estarão em alta no food service em 2023. Confira:

QR Code

Com a preferência dos consumidores pelo omnichannel e com a alta adoção dos smartphones, dado inclusive divulgado pelo levantamento How Many Phones Are in The World, efetuado pela BankMyCell, os aparelhos já são utilizados por mais de 83% da população mundial. O QR Code, assim, tem ganhado cada vez mais espaço no mercado, de modo que 56% dos brasileiros afirmam que já utilizaram ou tiveram seu processo de compra impactado por eles, conforme o relatório Tendências do Varejo para 2023.
“Além de proporcionar a omnicanalidade e a praticidade que os consumidores buscam, os QR Codes proporcionam versatilidade para as redes de food service, uma vez que podem ser aplicados de diversas formas que vão desde o acesso a um cardápio on-line até ao destrave de geladeiras voltadas para compras autônomas, que é o caso dos coolers da Take, por exemplo”, comenta Almeida.

Inteligência Artificial

Apesar de não ser novidade no mercado, clientes do mundo inteiro veem a Inteligência Artificial (IA) como uma ferramenta que pode melhorar as interações e experiências com as empresas, conforme mostrou a pesquisa global CX Trends 2022, da Zendesk. O relatório também revelou que 57% dos líderes de negócios planejam aumentar seus orçamentos de IA em pelo menos 25% em 2023.
Segundo Almeida, o setor de food service deve seguir a mesma tendência já que além de automatizar processos, a tecnologia pode ser utilizada para a melhoria de frentes de negócios como, por exemplo, padrões de consumo, previsões de vendas e até novos perfis de insumos.

Reconhecimento facial

Nos últimos anos, a biometria de reconhecimento facial tem conquistado o mercado. Conforme um relatório da Infinite Research Limited, até 2027, o segmento deve valer U$$ 22,7 bilhões. De acordo com Almeida, a tecnologia tornará a jornada de consumo mais simples, incluindo no setor de food service.
“Além de proporcionar maior segurança para os clientes e estabelecimentos, o reconhecimento facial viabiliza praticidade na identificação dos consumidores, que não precisam portar carteira ou documentos na hora de realizar uma compra, por exemplo. Essa comodidade e otimização de tempo e processos torna a tecnologia uma tendência em ascensão”, finaliza o executivo.
*Gustavo Almeida é CEO da Take.

Enquete

Estes são os temas mais procurados em relação a cursos sobre inteligência artificial no momento. Se você tivesse que escolher um deles, qual seria sua opção?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão