Thumbnail

Diego Barreto, diretor de estratégia no iFood, abriu o segundo dia de palestras e workshops do Some Control Summit, evento em formado híbrido realizado em Balneário Camboriú (SC).

Segundo dia

Segundo dia: Some Control Summit debate compliance, sucessão e liberdade de expressão digital

André Nunes, especial para o GazzConecta
10/02/2023 23:52
Terminou nesta
sexta-feira (10) a primeira edição do Some Control Summit, evento em formato
híbrido realizado pela Gonew.co em Balneário Camboriú (SC). Especialistas
brasileiros em gestão estratégica e liderança se reuniram desde quinta-feira
(9) para debater aspectos como inovação, governança, disrupção e ESG em
negócios.
Cerca de 750 participantes acompanham presencialmente ou de forma remota as palestras, painéis e workshops ministrados por experts como José Salibi Neto, Sandro Magaldi, Fábio Póvoa e Carl Amorim. O propósito da conferência é construir conhecimento de forma compartilhada, por isso reuniu mais de 20 palestas ou workshops ao redor de 15 temáticas de discussão e 30 horas de discussão e insights.
"O Summit é a realização de um sonho da Gonew.co, de fazer um evento maior do que já fazemos nas nossas aulas e Masterclasses. Queríamos trazer para o sul, por ser perto de onde começamos, (em Curitiba) então nós temos um carinho especial pela região", comemora Dani Maia, co-fundadora da Gonew.co.
Com o sucesso da primeira edição, a segunda rodada do evento já tem data para acontecer: agora com novo nome, escolhido durante a conferência finalizada hoje, o Gonew Summit será realizado nos dias 6 e 7 de março de 2024, em Curitiba.

Destaques do segundo dia de conferência

O segundo dia de evento recebeu, na palestra de abertura, Diego Barreto, diretor de estratégia no iFood, que destacou as "Práticas de controle e compliance".
“O aspecto da produtividade é muito importante, pois aumenta a competitividade com os concorrentes. Países mais ricos são mais competitivos. O mundo se organizou por muito tempo com a lógica da jornada. Funcionou no último século pelo subdesenvolvimento global. Nos últimos 100 anos, houve uma melhora na maioria dos índices de desenvolvimento humano de até 80%. Mas, hoje, podemos otimizar o tempo para ter mais produtividade”, refletiu.
“A jornada que criamos ao longo do tempo mira o bem estar social. Não é possível precarizar o trabalho como uma estratégia ou busca pelo lucro. Desde 2019, todos os entregadores do iFood tem seguro de vida, de acidentes, por invalidez que envolva sua operação. Todas as entregadoras tem direito a licença maternidade remunerada. Os entregadores que trabalham cinco dias por semana ganham em média dois salários mínimos. Dois terços dos entregadores, cerca de 200 mil, se dedicam à plataforma como complemento de renda; 75% dos entregadores dizem que não sairiam da plataforma e que prefere não ser CLT pela flexibilidade de horários”, detalhou Barreto.

Sucessão, smartcities e real estate

A inovação aplicada na sucessão de empresas familiares também foi tema de debates. Abordada na palestra com Paula Simões, especialista em governança e sucessão familiar. “O líder do futuro precisa ser adaptável, humanitário, inclusivo, multidisciplinar e que invista em lifelong learning, para aprender, desaprender e reaprender. O aspecto multidisciplinar sob o ponto de vista generalista, para entender e navegar em todos os setores do negócio. E também futurista, atento às tendências em busca de agilidade e eficiência”, defendeu.
“Inovação em real estate e smart cities” foi a palestra apresentada remotamente por Eduardo Marques, diretor o iCities, hub de inovação que realiza o Smart City Expo Curitiba. “Um case mundial que integra projetos de real state ao ecossistema de cidades inteligentes é o Distrito 22@ de Barcelona (Espanha), antiga zona industrial convertida em polo de inovação a partir de uma parceria público privada. Foi destinado 77% do espaço do distrito para pedestres, com 114 mil m² de área verde, mais de 7 mil empresas atraídas que geram 90 mil empregos”, apresentou Marques. O modelo utilizado em Barcelona é o chamado “superblocos” de quadras, que reúnem serviços e otimizam a mobilidade integrada de modais (pedestres, ciclovias, transporte público e automóveis).

Governança emstartups

Na sequência, o
painel sobre governança de portfólio em startups reuniu os especialistas Cacio Packer, Pedro
Muschitz, Danilo Konrad, Marcelo Wolowski, Cassio Spina e Ana Paula Passoni (os
três últimos remotamente).
“É preciso aplicar a
chamada tese de investimento para montar a carteira de startups, com critérios
como, por exemplo, evitar startups que só tem um fundador ou um casal
trabalhando junto. Temos um grupo de boas práticas em que são pautados elementos
estruturantes como estágio de maturidade, estratégia de funding, de
inovação, performance e estratégia de exits das startups”, detalhou Ana
Paula.
 O líder do futuro precisa ser adaptável, humanitário, inclusivo e multidisciplinar, segundo Paula Simões, que também esteve no segundo dia do Some Control Summit. Foto: Leticia Cabral/Avesso Agência.
O líder do futuro precisa ser adaptável, humanitário, inclusivo e multidisciplinar, segundo Paula Simões, que também esteve no segundo dia do Some Control Summit. Foto: Leticia Cabral/Avesso Agência.
“Ter passado pela experiência de ter sido empreendedor me trouxe outra visão ao processo de montagem de portfólio. A busca por caixa é o principal objetivo, mas o valuation de uma startup é muito instável nos estágios iniciais. Constatar boas práticas de gestão e governança, além do potencial, também ampliam o valuation, não somente o caixa, na hora de investir, vender ou comprar uma startup”, enfatizou Muschitz.

Liberdade deexpressão e riscos digitais

A última palestra do segundo dia de Some Control Summit sobre “Liberdade de expressão e riscos reputacionais digitais” recebeu Madeleine Lacsko, jornalista especializada em cidadania digital e colunista da Gazeta do Povo.
 Madeleine Lacsko no encerramento do Some Control Summit. Foto: Leticia Cabral/Avesso Agência.
Madeleine Lacsko no encerramento do Some Control Summit. Foto: Leticia Cabral/Avesso Agência.
“O que mudou no
nosso conceito de liberdade de expressão? Existem limites? Como garantir a
honra e a reputação em um ambiente de revolução digital? Antes, é preciso uma
diferenciação: é possível repudiar ou processar alguém após uma ação ou
declaração, mas não a proibir de agir. Isso é a liberdade de expressão. Vivemos
uma tendência de ‘cancelar humoristas enquanto o mundo pega fogo’, baseado no
livro de mesmo nome, de Ben Burgis. Um exemplo recente foi no dia 8 de janeiro,
enquanto se discutia a tentativa de golpe de Estado em Brasília, parte das
redes sociais debatiam um suposto uso racista da expressão ‘organizações
tabajara’ pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF, que comentava o episódio
político”.

Some Control Awards

Ao final da programação do evento, foram reconhecidos os destaques do ecossistema de inovação na premiação Some Control Awards. Dividido em 12 categorias, o prêmio busca evidenciar a atuação dos mais diversos atores de inovação que ressignificam a alta gestão, incluindo profissionais, mentores e cases de sucesso. Na prática, a comunidade indica e vota nas principais ações voltadas para inovação, nova geração, ambiental, social, case de transformação, case ESG, agente de transformação, empreendedor, case de engajamento, legal, startup e case de gestão de ativos.  O Some Control Awards recebeu mais de 3 mil votos.

Enquete

Estes são os temas mais procurados em relação a cursos sobre inteligência artificial no momento. Se você tivesse que escolher um deles, qual seria sua opção?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão