Thumbnail

Inovação

Paraná lança selo de inovação para validar produtos de empresas de todo o Brasil

Aléxia Saraiva
30/07/2020 21:11
Buscando atender a necessidade do mercado de validar produtos disruptivos, o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) lançou, no final de julho, um selo de inovação para empresas e empreendedores. A iniciativa tem como objetivo avaliar o potencial inovador de produtos, que podem se encaixar em três modalidades, segundo seus estágios de concepção: Conceito Inovador, Protótipo Inovador ou Produto Inovador (no caso do que já foi viabilizado).
Para isso, a ideia
passa pela avaliação de um comitê composto por profissionais do próprio Tecpar
segundo sua área de atuação, o que pode levar de uma a três semanas. Na
sequência, a empresa recebe um relatório com o feedback do produto e uma
pontuação segundo seis critérios de avaliação, que determina se o selo será ou
não concedido.
A metodologia criada pelo Tecpar para a avaliação é dividida em dois grupos. O primeiro grupo trata da viabilidade do produto, analisando aspectos técnicos, econômicos, financeiros e de patentes, e engloba itens como o valor final e a acessibilidade à matéria-prima. Já o segundo grupo trata da inovação em si, analisando quesitos como a concorrência no mercado.
Selo de Inovação Tecpar tem três modalidades: Conceito Inovador, Protótipo Inovador e Produto Inovador.
Selo de Inovação Tecpar tem três modalidades: Conceito Inovador, Protótipo Inovador e Produto Inovador.
Rogério Moreira de Oliveira, gerente da Agência de Inovação do
Tecpar, explica que o selo de inovação está em concepção desde 2017. Ele relata
que a metodologia passou por um longo processo de pesquisa para sua construção,
e que deve evoluir com o tempo. “O selo é um fator redutor de risco, porque a inovação
depende da aceitação do produto no mercado. Considerando isso, procuramos modelos
preexistentes no mercado – o que praticamente não existe – e construímos nossos
critérios”, pontua.
Rogério explica que os critérios podem ter pesos diferentes
entre si a depender do nível de evolução do produto. “Existe uma ponderação.
Para uma ideia conceitual, por exemplo, a viabilidade econômica ainda não é o
mais preocupante, mas sim a verificação da tecnologia, saber se ela é viável. Já
para um protótipo ou produto, aumenta o peso da viabilidade econômica, já que a
viabilidade técnica já foi atendida”, exemplifica.
Segundo o gerente, o crescimento do número de startups no
Brasil aumentou a demanda por uma validação de produtos para buscar
investimentos ou parceiros externos, e que o selo vem reduzir esse risco de
investimento. “Ao mesmo tempo, ele serve como uma informação
para o empreendedor. No relatório, incluímos informações sobre o que pode ser
melhorado, quais são as barreiras técnicas, se o produto é inviável técnica e
economicamente, e por quê. É uma análise bastante completa dos aspectos de inovação
do produto”, relata. “Projetos começam pequenos, e nós queremos apoiar os
empreendedores desde a sua iniciativa”.
Para pleitear o selo, é necessário enviar um e-mail para sac@tecpar.br. Podem se inscrever empresas ou empreendedores de todo o Brasil, não sendo necessário ter um CNPJ. O Selo de Inovação Tecpar terá um custo de operação, cujo valor ainda está sob consulta.

Enquete

A inteligência artificial está transformando rapidamente aspectos da sociedade. Como você percebe o impacto da IA em nossas vidas?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão