Thumbnail

Rodrigo Schiavini. Crédito: Divulgação.

Masterboard

Conheça a trajetória do empreendedor que revolucionou o varejo online

Erica Hong
Erica Hong
25/10/2023 17:53
Ao comprar um produto de forma online, é muito comum aparecer novas recomendações, outros itens que podem ser interessantes acompanhar a nova aquisição, entre outras dicas. Hoje em dia, tudo isso é tão natural que, dificilmente, para-se para pensar em como essa ferramenta foi criada.
É nesse cenário que entra o Rodrigo Schiavini, empreendedor nato, fundador de uma das empresas que desenvolveu a primeira plataforma do Brasil de buscador de e-commerce, que viria ainda dar lugar a Smart Hint, uma empresa de tecnologia que melhora a experiência do consumidor com o uso de inteligência artificial.
Como Rodrigo mesmo conta, a sua carreira oficial de empreendedor começou em 2006, apesar de sempre ter esse DNA desde cedo, já que em todas as empresas que passava se dedicava como se fosse o seu próprio negócio. No anseio de alcançar maiores posições, abriu o jogo para o seu chefe e recebeu o convite de abrir uma nova empresa, tendo ele como sócio.
Dessa oportunidade, nasceu a Fábrica de Bits, um empreendimento voltado ao desenvolvimento de softwares. Em quatro anos de existência, a Fábrica já contava com um time de 120 pessoas, mas o crescimento ainda não era o esperado, pois demandavam muita mão de obra para atender a quantidade de clientes que tinham.

Inovação na compra online

Com algumas viagens, novas experiências e implementações, viram a oportunidade em comércio eletrônico e desenvolveram os primeiros produtos, entre buscador de e-commerce, disparador de e-mail marketing e carrinho de compras. Com essas novas tecnologias, a Fábrica de Bits passou a ser FBITS e, em 2016, a Locaweb, empresa de hospedagem de sites, se interessou pelo negócio e comprou a companhia.  
Aí eu pensei: 'o que vou fazer da vida?' Sabia que precisava empreender em algo novo, então lembrei de uma tecnologia que não havia conseguido colocar em prática na FBITS, que era implementar inteligência artificial na plataforma de e-commerce. O que eu queria era melhorar a experiência do consumidor, que ele entrasse na loja virtual e sentisse como quando ele vai fazer uma compra e recebe aquele atendimento espetacular que o faz querer voltar, 
diz Schiavini.

Vitrine de recomendação e experiência do consumidor

Com a bagagem que tinha e a ideia na cabeça, criou a Smart Hint. O novo negócio nasceu para desenvolver a ferramenta que recomenda, auxilia na busca e, sobretudo, melhora a experiência do consumidor. Somente no primeiro ano, a tecnologia já era utilizada em mais de 1.200 lojas no Brasil, de grande e médio porte.
Em 2017, o empreendedor fez uma imersão no Vale do Silício e um dos lemas que ele recebeu foi: "o que você está fazendo para impactar positivamente 1 bilhão de pessoas?" e, segundo ele, depois da experiência, voltou transformado.
"A cabeça virou do avesso e, com o passar dos meses, vieram vários insights", revela. Então, ele foi para o lado oposto e buscou atender empresas de pequeno porte que, apesar de não terem dados suficientes, era uma área que o mercado não estava suprindo. O retorno foi tão efetivo que, com essa estratégia, passaram a ser a tecnologia utilizada em mais de 1.500 lojas. "O crescimento foi exponencial", ressalta.
Ele explica que o cliente da Smart Hint é o varejista, mas o trabalho incansável é para atender o consumidor final, para melhorar a experiência dessas pessoas - e é aí que ele encontra o 1 bilhão de pessoas que ele pode impactar positivamente. 

Parceria com a Magalu e ‘give back’

Em dezembro de 2020, a Smart recebeu a proposta da Magalu para fazer parte do ecossistema da empresa ou ser comprada pela companhia. Inicialmente, Schiavini optou pela primeira opção, mas à medida que avaliava o mercado, percebeu que a competição se tornaria mais intensa e aceitou ser comprado pela empresa.
Hoje, ele é diretor na Luiza Labs e ainda abriu uma empresa de compra e venda de participação para fazer investimento em startups que estão começando, a Rocket Invest. "A ideia é retornar à sociedade tudo aquilo que recebi e aprendi, o 'give back'. Hoje já são 15 empresas investidas".
Embora a rotina seja intensa, Schiavini não deixa de dedicar tempo a sua família. Ele afirma que colocou como meta diária após as 18h parar de trabalhar e dar total atenção às filhas e à esposa. Qualquer demanda que surja será atendida após as 22h ou no dia seguinte. "Não é fácil, mas eu consegui equilibrar. O que levo em conta é que é um tempo que você não vai conseguir resgatar vai se perder".

Conselhos do empreendedor

Para quem deseja empreender no setor, Schiavini aconselha expandir os horizontes e, se possível, viver a experiência de visitar o Vale do Silício.
O impacto que tive no Vale sobre desenvolvimento de tecnologia em larga escala é o principal conselho que eu dou para qualquer empreendedor. Entenda que, se você está começando um empreendimento, terá que dedicar pelo menos 10 anos intensos da sua vida em função disso. Então, procure uma dor do mercado, algo que a sociedade anseia e desenvolva a solução para isso
orienta.
Para fechar, ele complementa destacando que o foco é fundamental em toda a jornada. “Em um cenário que o empreendedor já tem um mercado definido, a dor e a solução, o ponto principal é ter foco na estratégia e execução. Um dos maiores diferenciais que tive, inclusive no sucesso da Smart Hint, foi a capacidade do foco e também de dizer não às propostas que se apresentavam e que me tiravam do meu objetivo", finaliza.

Enquete

A inteligência artificial está transformando rapidamente aspectos da sociedade. Como você percebe o impacto da IA em nossas vidas?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão