Thumbnail

ESG

Como o ESG impacta o setor do agronegócio?

Content Driven
Content Driven
09/03/2024 10:30
A vertente da sustentabilidade é algo crescente no mundo do agronegócio. O famoso ESG precisa ser uma prática recorrente dentro de empresas desse setor. 
Pensando nisso, criamos este guia completo para tirar todas as suas dúvidas sobre o que é o ESG e como ele está se tornando uma das vertentes mais importantes para as empresas do agro hoje.
Acompanhe!

O que é ESG?

Antes de mais nada, precisamos entender o que de fato é o ESG.
A sigla refere-se a três critérios fundamentais para avaliar o desempenho ambiental, social e de governança de uma empresa. Veja abaixo, em detalhes, o que cada um significa:

Ambiental (E - Environmental)

Avalia o impacto da empresa no meio ambiente, incluindo suas práticas relacionadas a mudanças climáticas, gestão de resíduos, conservação de recursos naturais, entre outros.

Social (S - Social)

Diz respeito às práticas sociais da empresa, abrangendo temas como responsabilidade social, diversidade e inclusão, relações com a comunidade e segurança dos funcionários.

Governança (G - Governance)

Refere-se à estrutura de governança da empresa, incluindo transparência, ética nos negócios, gestão de riscos e independência do conselho.
Após essa breve explicação, vemos que o ESG tem grande importância no agronegócio, pois reflete a necessidade de práticas sustentáveis e responsáveis no setor. 
Para que não fique dúvida, abaixo elencamos os principais pontos de destaque dessa prática nas empresas do agro:
  • Sustentabilidade Ambiental: No agronegócio, a gestão responsável dos recursos naturais é vital. Empresas com práticas agrícolas sustentáveis minimizam impactos ambientais negativos, promovendo a conservação do solo, da água e a preservação da biodiversidade.
  • Responsabilidade Social: O ESG no agronegócio aborda questões sociais como o respeito aos direitos dos trabalhadores rurais, segurança no trabalho, condições de vida nas comunidades agrícolas e a promoção de práticas agrícolas éticas.
  • Governança Eficiente: Uma boa governança no agronegócio assegura a transparência nas operações, boas práticas de gestão de riscos e a manutenção de altos padrões éticos. Isso é essencial para construir a confiança dos investidores, parceiros comerciais e da sociedade em geral.
  • Acesso a Capital Sustentável: Empresas agrícolas que adotam práticas ESG podem atrair investidores comprometidos com a sustentabilidade. O acesso a financiamento e investimentos sustentáveis torna-se mais viável para aquelas que demonstram responsabilidade ambiental e social.
  • Atendimento a Demandas do Mercado: Consumidores e clientes estão cada vez mais conscientes e demandam produtos agrícolas produzidos de maneira ética e sustentável. 
Em resumo, o ESG no agronegócio não apenas promove a responsabilidade social e ambiental, mas também se torna um fator chave para a longevidade e competitividade das empresas no cenário global.

Como as Agtechs contribuem para o ESG?

As agtechs utilizam a tecnologia agrícola para auxiliar na resolução de questões práticas do dia a dia dos produtores. Por sua vez, otimizam processos, aumentam a eficiência e transformam o setor do agro com foco nas premissas do ESG
Em síntese, as agtechs promovem a agenda ESG quando possuem:

Eficiência no Uso de Recursos

As agtechs introduzem tecnologias que permitem o uso mais eficiente de recursos como água e fertilizantes. 
Sistemas de irrigação inteligentes e análises precisas contribuem para a sustentabilidade ambiental, alinhando-se ao critério ambiental (E) da agenda ESG.

Agricultura de Precisão

Ferramentas de agricultura de precisão, como sensores e drones, auxiliam na tomada de decisões mais informadas.
Isso resulta em práticas agrícolas mais precisas, reduzindo desperdícios e otimizando o uso de insumos, alinhando-se aos critérios ambientais (E) e sociais (S) da agenda ESG.

Gestão Sustentável do Solo

Tecnologias voltadas para a gestão do solo como monitoramento da saúde do solo e práticas de cultivo regenerativo promovem a sustentabilidade agrícola.
A preservação do solo contribui para a mitigação das mudanças climáticas e a conservação da biodiversidade, atendendo aos critérios ambientais (E) da agenda ESG.

Cadeias de Abastecimento Transparentes

Soluções de rastreabilidade e blockchain implementadas por agtechs proporcionam maior transparência nas cadeias de abastecimento.
Isso atende ao critério de governança (G) da agenda ESG, promovendo práticas éticas e responsáveis em toda a cadeia produtiva.

Bem-Estar Animal e Social

Agtechs também desempenham um papel importante no monitoramento e na melhoria do bem-estar animal.

Inclusão Digital e Agricultura Familiar

Tecnologias desenvolvidas por agtechs contribuem para a inclusão digital no campo, beneficiando agricultores familiares.
Isso promove a inclusão social e econômica, alinhando-se ao critério social (S) da agenda ESG.

Redução de Resíduos e Alimentação Sustentável

Agtechs inovam na produção de alimentos sustentáveis, reduzindo desperdícios e promovendo práticas alimentares mais conscientes.
Isso aborda os critérios ambientais (E) e sociais (S) da agenda ESG.

Educação e Treinamento

Agtechs não apenas fornecem tecnologias, mas também contribuem para a educação e treinamento de agricultores.
Isso promove o desenvolvimento social, atendendo aos critérios sociais (S) da agenda ESG.

ESG no agro: 10 agtechs que contribuem com o setor

Confira, agora, as principais agtechs que estão contribuindo significativamente para o cumprimento dos requisitos ESG no Brasil.

Agrofy

Agrofy é uma plataforma que conecta compradores e vendedores do agronegócio, facilitando negociações online de insumos, máquinas e produtos agrícolas.

Goomer

Goomer atua na digitalização de cardápios para restaurantes, incluindo estabelecimentos rurais. A plataforma visa melhorar a experiência do cliente e otimizar processos de pedidos.

CropMonitoring

Especializada em agricultura de precisão, a CropMonitoring utiliza tecnologias como drones e sensores para monitorar e analisar o desenvolvimento das culturas, proporcionando dados precisos aos agricultores.

TechS4Agro

TechS4Agro desenvolve soluções baseadas em Internet das Coisas (IoT) para monitoramento ambiental em propriedades rurais, contribuindo para a gestão sustentável dos recursos naturais.

AgroTools

A AgroTools oferece soluções de análise de dados geoespaciais para o agronegócio, auxiliando na tomada de decisões estratégicas relacionadas ao manejo de culturas.

CargoX

CargoX é uma plataforma de logística que utiliza tecnologia para otimizar o transporte de produtos agrícolas, reduzindo custos e aumentando a eficiência na cadeia de suprimentos.

AgriConnected

AgriConnected foca em conectar agricultores e promover a troca de conhecimentos e experiências por meio de uma plataforma digital, fortalecendo a comunidade agrícola.

Urutágro

Urutágro desenvolve soluções para o monitoramento e controle de pragas e doenças nas lavouras, utilizando inteligência artificial para identificação e aconselhamento aos agricultores.

Agrointeli

Agrointeli oferece soluções de agricultura de precisão, incluindo monitoramento climático, previsões meteorológicas e orientações para otimização do manejo agrícola.

BeGreen

BeGreen é uma plataforma que conecta produtores agrícolas a consumidores locais, promovendo a agricultura sustentável e incentivando práticas de consumo consciente.
Essas agtechs brasileiras destacam-se por suas abordagens inovadoras, contribuindo para diferentes aspectos do agronegócio, desde a logística até o monitoramento climático e a conexão entre agricultores.

Enquete

Estes são os temas mais procurados em relação a cursos sobre inteligência artificial no momento. Se você tivesse que escolher um deles, qual seria sua opção?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão