Thumbnail

Três passos essenciais para startups buscando o tão sonhado product-market fit.

Allan Costa

Allan Costa

Allan Costa é empreendedor, investidor-anjo, mentor, escritor, motociclista e palestrante em dois TEDx e em mais de 100 eventos por ano. Co-fundador do AAA Inovação, da Curitiba Angels e Diretor de Inovação da ISH Tecnologia. Mestre pela FGV e pela Lancaster University (UK), e AMP pela Harvard Business School.

Startups e Estratégia

Três passos essenciais para startups que estão buscando Product-Market Fit

29/03/2023 19:47
Product-Market Fit é um dos conceitos mais importantes no mundo das startups - e do mundo dos negócios em geral. Ele se refere ao momento em que os clientes de uma startup passam a comprar, usar e voltar a usar os produtos da empresa em larga escala, de forma que o crescimento e a lucratividade tornam-se sustentáveis.
Para algumas startups, isso acontece de forma quase repentina, ainda nos primeiros meses. Contudo, isto é raro. Para muitas delas, o cenário base é de que esse processo pode demorar meses - e em muitos casos, anos - até que elas consigam atingir esse ponto. A verdade é que chegar lá é uma raridade, já que boa parte das startups morre pelo caminho.
Estou inserido no mundo de startups há, praticamente, uma década, quando a expressão que caracteriza essas empresas escaláveis e com modelos de negócio inovadores ainda nem era difundida no Brasil. Já assinei cheques para gigantes como a Contabilizei e, ainda hoje, sou cofundador da AAA Inovação, uma startup de educação corporativa. Baseado nesta experiência, separei tês passos essenciais para startups buscando o tão sonhado com o seu product-market fit.

1. Crie uma comunidade

Comunidade está virando uma buzzword no mundo dos negócios. Contudo, para além do hype, construir uma comunidade em torno do seu produto é uma maneira eficaz de encontrar o product-market fit.
As startups podem usar mídias sociais, fóruns e outras plataformas para se envolver com clientes em potencial, coletar feedback e criar seguidores leais. Uma comunidade fornece às startups uma linha direta de comunicação com os clientes, permitindo que eles entendam melhor as necessidades dos clientes e adaptem o produto de acordo. Startups como Rocket Chat começaram dando bastante valor às suas comunidades e encontraram o product-market fit a partir daí.

2. Construa parcerias

Parceria com empresas complementares pode ajudar sua startup a encontrar o seu product-market fit. Ao fazer parceria com outras empresas, as startups podem explorar as bases de clientes existentes, obter insights valiosos e aumentar seu branding.
As parcerias também podem fornecer às startups acesso a recursos e conhecimentos que podem ajudá-las a refinar seus produtos e atender melhor às necessidades dos clientes. É como se você estivesse em uma bicicleta, mas pegando carona em um veículo melhor enquanto ajusta o seu produto. Startups de seguro, por exemplo, fecham parcerias com companhias aéreas ou empresas de viagem para prover valor a clientes existentes dessas empresas.

3. Rastrear métricas

Esta pode parecer óbvia, mas você não acreditaria no quanto este passo é menosprezado por fundadores. Medir as métricas corretas é fundamental para encontrar o ajuste do produto ao mercado. As startups devem identificar as principais métricas, como custo de aquisição do cliente, taxa de retenção do cliente e LTV, e acompanhá-las regularmente.
Perceba que eu falei “métricas corretas”. Muitas vezes, os fundadores até estão medindo métricas, mas colocam foco naquelas que não são tão importantes para o momento atual da empresa. E, uma vez que tudo aquilo que é medido tem um custo associado, ficar nas métricas erradas, além de não proporcionar o resultado esperado, pode acabar queimando recursos preciosos.

Enquete

Estes são os temas mais procurados em relação a cursos sobre inteligência artificial no momento. Se você tivesse que escolher um deles, qual seria sua opção?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão