Thumbnail

Eventos de inovação podem ser uma ferramenta poderosa para crescimento profissional e abertura de oportunidades se soubermos como aproveitá-los.

Allan Costa

Allan Costa

Allan Costa é empreendedor, investidor-anjo, mentor, escritor, motociclista e palestrante em dois TEDx e em mais de 100 eventos por ano. Co-fundador do AAA Inovação, da Curitiba Angels e Diretor de Inovação da ISH Tecnologia. Mestre pela FGV e pela Lancaster University (UK), e AMP pela Harvard Business School.

Eventos e congressos

Eventos de inovação: 4 maneiras de aproveitá-los da melhor forma possível

30/05/2023 19:19
Eventos de inovação e corporativos podem ser uma ferramenta poderosa para crescimento profissional e abertura de oportunidades se soubermos como aproveitá-los.
Frequentei centenas de eventos ao longo dos últimos anos e tenho percebido o quanto essa indústria virou um caça-níquel que promete networking, conteúdos de alto nível e muitas transformações e, muitas vezes, só entrega falta de organização, dor de cabeça e conteúdos rasos.
Muitos desses eventos cobram milhares de reais - ou dólares - dos participantes, centenas de milhares de patrocinadores ou expositores, e entregam uma experiência nada satisfatória para quem lá está. Obviamente, isso está longe de ser a realidade em todos os encontros e, em muitas situações, o valor recebido é muitas vezes superior ao preço pago. Mas, com o crescimento do número de eventos de inovação ao longo dos últimos anos, tenho ficado cada vez mais seletivo em relação não apenas aos eventos em que compareço, mas também aos quais eu aceito estar presente como palestrante.
Baseado na minha experiência, separei 4 boas práticas para que você aproveite melhor os próximos eventos nos quais for participar:

Mantenha o radar ligado

Uma das vantagens de estar há tempos no mercado, é que o radar contra bullshitagem se torna incrivelmente afiado! Em poucos minutos consigo ver se alguém realmente prega, na prática, aquilo que adora falar sobre.
Mantenho esse radar ligado não apenas no evento, mas antes dele, para decidir se irei ou não. Como fazer isso? Primeiro de tudo, os palestrantes. Muitos eventos por aí parecem ter muito mais palestrantes do que participantes.
Outro ponto importante para prestar atenção: os palestrantes são realmente construtores daquilo que pregam e tem experiência prática na área, ou o trabalho deles é só palestras sobre aquilo, sem construir nada na vida real?

Muito do ouro está fora do evento em si

Muitas oportunidades de negócio surgem não apenas no evento em si, mas fora dele, nos chamados “side-events”. Aqui é onde muitas pessoas realmente se soltam e se juntam para comer e beber. Ficar ligado nos side-events deste tipo de evento é uma ótima maneira de construir um networking poderoso, para além das iniciativas oficiais da conferência.

Eventos são legais, mas não são o mundo real

O mundo real é muito mais complexo do que qualquer palestra ou showcase feito em um ambiente controlado. Nos eventos, toda iniciativa pode funcionar e parece perfeita.
Apresentações de slide ou mockups de aplicações são legais para mostrar determinados pontos, mas nada como testes no mundo real para ver se todos aqueles conceitos ou telas bonitas param de pé.

Colocar em prática

De nada adianta passar três dias imerso em um evento, ouvindo sobre as últimas tendências e cases globais se, ao final dos três dias, você volta para casa ou empresa, de cabeça fechada, sem colocar nada daquilo em prática.
Obviamente, não estou dizendo aqui para você dar um duplo twist carpado na sua vida profissional ou empresa só por que foi para um evento. Mas pagar milhares de reais para participar de uma conferência de conhecimento e não aplicar nada daquilo também não parece nada inteligente.

Enquete

Estes são os temas mais procurados em relação a cursos sobre inteligência artificial no momento. Se você tivesse que escolher um deles, qual seria sua opção?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão