Thumbnail

Gustavo Caetano, autor do best-seller “Pense Simples”. Crédito: Divulgação.

Rafael Mendes

Rafael Mendes

Rafael Mendes é CEO da RP Trader.

Gustavo Caetano

Autor do best-seller “Pense Simples” dá conselhos preciosos sobre empreendedorismo, liderança e vendas

27/10/2023 15:41
O nosso entrevistado de hoje é o Gustavo Caetano, autor do best-seller “Pense Simples”, que nos trouxe conselhos sobre empreendedorismo, liderança e vendas.
Ao se apresentar, Gustavo afirma que sua história se conecta com a de várias pessoas. Isso porque ele nasceu no interior de Minas Gerais, em uma cidade chamada Araguaí e decidiu seguir um caminho próprio ao escolher estudar Marketing e Propaganda no Rio de Janeiro.
Além disso, em 2004, ele também optou por empreender quando ninguém falava sobre empreendedorismo por escolha. Na verdade, naquela época, a visão era de empreender por necessidade. Foi percebida, então, a oportunidade de vender jogos de celular, quando ele se deparou com uma falta desses produtos no mercado. Assim, nasceu a Samba Mobile, uma empresa que tinha como foco vender jogos para operadoras de telefonia.
Sem dinheiro para investir, ele apresentou a ideia a um grande empresário de Florianópolis, que investiu 100 mil dólares no negócio. Em 2008, já de olho nas mudanças do mercado, Caetano conseguiu mais 5 milhões de dólares em investimentos de um fundo mineiro e outra da Califórnia para construir uma plataforma de vídeos [ressaltamos que a empresa dele foi uma das primeiras startups do mercado brasileiro].
Perguntado sobre como sua história familiar impactou e impacta suas decisões, o empresário diz que seu bisavô e seu avô vieram de Portugal para montar uma fábrica de cortiça, utilizado para isolamento térmico. A empresa cresceu muito, mas uma nova tecnologia apareceu, o isopor. No entanto, seu avô não acreditou no potencial desse novo produto, o que impactou negativamente a fábrica, uma vez que o isopor passou a substituir a cortiça. Isso o levou à falência.
Essa história deixa Gustavo, segundo suas palavras, paranoico com a reinvenção, com a ideia de não se acomodar no que já faz e ficar sempre atento às novidades do mercado. Nesse sentido, a Samba nasceu como uma empresa que vendia jogos de celular e, depois de um tempo, as operadoras, que eram as clientes da empresa, começaram a diminuir a margem que pagavam. Essa era uma guerra com as empresas que o empreendedor não queria encarar.
No entanto, veio a inovação, em 2007, de que o mundo caminharia para o consumo de vídeos, o que de fato aconteceu. Assim, nasceu uma nova empresa, que era, agora, uma plataforma de vídeos. Depois, nesse mesmo segmento, a Samba se inseriu no mercado da educação, tendo 4 das 5 maiores empresas de educação como clientes.
Essa reinvenção deu à empresa um novo foco e um novo nome: Samba Digital. Por meio dela, Gustavo começou a participar de conselhos de grandes empresas, como Arcelor Mittal, do Instituto Ayrton Senna, Baterias Moura, entre outros e pôde entender as demandas para a transformação digital dos negócios. Dessa forma, ele passou a enxergar, em si e em seu negócio, a capacidade de ajudar outras empresas a se inserirem no ambiente digital.
Essa nova empreitada trouxe o objetivo de levar as empresas para o futuro, entendendo a mentalidade do digital, otimizando e gastando menos em processos. Caetano afirma que sua grande aposta está na simplicidade, porque, pare ele, a inovação está ligada à arte de simplificar para ganhar em escala, gerar engajamento e conectar com os clientes. Por isso, ele reafirma a necessidade de se reinventar o tempo inteiro a partir da busca constante por conhecimento.
Sobre as dificuldades encontradas para empreender no Brasil, Gustavo afirma que, sim, vai ser difícil mesmo, afinal, todo planejamento pode dar errado em algum momento, ainda mais em nosso país, onde há muitas variáveis e imprevistos. O segredo, então, está na resiliência e no aprendizado constante dos empresários.
Isso demonstra que a história de empreender não é linear. Por isso, é preciso ter a cabeça aberta, não desanimar ao ouvir os nãos, mas aprender com eles, ouvindo os argumentos de quem diz esses nãos ao longo do caminho.
A mentalidade do líder, de quem está à frente, portanto, precisa ser a de alguém que não tem todas as respostas, mas é capaz de perguntar e ouvir para poder crescer com os novos conhecimentos. É, também, importante nunca achar que tudo já foi aprendido, deixar de culpar as pessoas pelos erros e entraves, e se abrir para mudar quando necessário. Logo, essa atitude trará grandes chances de crescer no mercado brasileiro, que é muito incerto.
Para construir uma marca forte para ser sempre visto e lembrado pelos clientes, pelo mercado, é necessário então que cada empreendedor trabalhe a sua marca sabendo responder às seguintes perguntas: Aonde eu quero chegar? Como quero ser lembrado?
A partir dessas respostas, será essencial ter coerência e constância, além de validação e reputação, segundo o que Gustavo entende ser importante. Para isso, a busca é por estudar em lugares de referência e conectar-se com empresas de referência.
Além disso, deve-se buscar também exposição e foco, ou seja, procurar estar em espaços onde seja possível falar sobre o assunto do qual você é especialista. Isso porque, quando você tem uma marca, as pessoas querem estar perto de você, porque você tem algo a agregar. Esses passos contribuem para que empreendedores e marcas entreguem valor para criar uma rede de relacionamentos em que haja troca e crescimento para todos os envolvidos.
Sobre o livro “Pense Simples”, um best-seller, no começo, ele achava que não fazia sentido escrever um livro em que apenas contasse sua trajetória porque ele é ainda muito jovem.
Entretanto, começou a ouvir histórias sobre pessoas que foram impactadas por suas palestras e entendeu que tinha conhecimento para levar para as pessoas. A partir daí, ele quis pensar em uma obra que trouxesse histórias que ele viveu, mas com conhecimentos que impactassem as pessoas.
O objetivo do livro é desmistificar que inovar é algo complexo. Afinal, muitos não inovam porque acham que são pequenos, que não têm essa capacidade. Outro objetivo é trazer a ideia de simplicidade também, levando as pessoas a entenderem que elas são capazes, porque ele mesmo saiu do interior de Minas e, hoje, tem uma marca reconhecida e de sucesso.
Apesar do sucesso do primeiro livro, ele percebeu que não havia mostrado como executar as ideias, por isso, veio outra obra: “Faça Simples”. Neste livro, há um passo a passo de como tirar a ideia do papel e colocá-la em prática. É uma forma de empoderamento para que as pessoas se sintam capazes de empreender porque, para Gustavo, empreender com sucesso é possível para todos, de todos os lugares. Todos podem inovar e empreender de um jeito simples.
Para finalizar, Gustavo Caetano relembra uma frase: “Se houver disparidade entre o mapa e o terreno, fique sempre com o terreno”. Ou seja, para ele, é preciso sempre escolher o que estamos vendo, a realidade que temos na nossa frente, que está em constante mudança, e testar para comprovar as hipóteses que se apresentam para buscar maior valor constantemente.

Enquete

A inteligência artificial está transformando rapidamente aspectos da sociedade. Como você percebe o impacto da IA em nossas vidas?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão