Thumbnail

João Kepler

João Kepler é empreendedor que investe desde 2008. Premiado como melhor Investidor Anjo do Brasil pelo Startup Awards. É diretor na FIESP e na ASSESPRO; conselheiro na ACE, ANPROTEC e ACSP; apresentador do Reality Show [O ANJO Investidor]. Autor de vários livros e conselheiro da Gazeta do Povo.

Mercado brasileiro

Cresce o volume de investimentos em startups durante a pandemia

06/05/2020 16:49
Na contramão do momento crítico em que o mundo está inserido em função da pandemia do Coronavírus, os investimentos em startups estão a todo vapor, é o que mostram os dados do mercado de Venture Capital (VC) no Brasil. Em um estudo mensal divulgado que tem como objetivo acompanhar a evolução dos investimentos no Brasil chamado Inside Venture Capital Brasil, ficou claro a evolução, bem como otimismo fundamental para enfrentarmos o que estamos passando apostando em novas soluções e ideias.
Em relação a evolução do volume investido e número de investimentos realizados no primeiro quadrimestre do ano (janeiro a abril), o volume investido no período foi 20% superior ao mesmo período em 2019, enquanto o número de deals ficou praticamente estável no período.
Fonte: Pesquisa Inside Venture Capital Brasil
Fonte: Pesquisa Inside Venture Capital Brasil
Ainda usando o mês de abril como base e referência, o volume investido neste mês em 2020 foi 118% superior a abril de 2019, enquanto o número de deals também se manteve estável. Possivelmente não será possível mapear todos os aportes a tempo, mas este número deve subir ainda mais nos próximos 30 dias. A fonte que disponibilizou estes números é o Distrito Dataminer, unidade de inteligência de mercado baseada em dados do Distrito.
E não é difícil explicar o porquê deste aumento considerável em um período de crise, afinal, vale ressaltar que as startups possuem negócios mais resilientes em momentos de incertezas. Além disso, existem vários fundamentos que impulsionam os investimentos nessa classe de ativos nesse momento como tenho mostrado nas minhas últimas publicações.
Ativos de capital intangível tendem a apresentar performance melhor em momentos de crise, sem contar que o ciclo e jornada de uma startup (do zero ao bilhão) é de, em média, 8 anos. Ou seja, os investidores entendem que a crise logo vai passar e estão aproveitando este momento para entrar em boas oportunidades.
Ao pensar ainda que, no geral, são negócios de alta aderência a conexões, integrações, adaptações ao mercado e de baixo endividamento, baixo custo e alta performance, as startups já estavam adaptadas a trabalhar em home office, por exemplo, e a lidar com equipes reduzidas, orçamento mensal enxuto, entre outras características. E é claro, que com a infinidade de problemas que estamos tendo que enfrentar neste período de pandemia mundial, não param de surgir soluções voltadas ao combate a crise e ao Covid-19.
 Fonte: Pesquisa Inside Venture Capital Brasil
Fonte: Pesquisa Inside Venture Capital Brasil
Então, a grande mensagem que fica neste artigo é que para aqueles que ainda não se deram conta, o momento é de investir em startups. Os números estão aí, as pesquisas não param de acontecer justamente para mostrar que não se trata de achismo ou predileção de ninguém, mas de dados que podem ser acessados por qualquer um que esteja interessado em entender melhor o cenário e as possibilidades.
Minha dica neste momento é que caso você ainda tenha dúvida recorra a estes dados. Recentemente já divulguei outras pesquisas que apontam para o mesmo rumo e foram realizadas por outras fontes. Não tenha medo de investir em startups por falta de conhecimento, inúmeras oportunidades estão no mercado e o aumento no número de investimentos só demonstra que é a hora de aproveitá-las.

Enquete

Estes são os temas mais procurados em relação a cursos sobre inteligência artificial no momento. Se você tivesse que escolher um deles, qual seria sua opção?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão