Thumbnail

A automação de processos burocráticos, a análise de dados e a comunicação com o público são apenas algumas áreas que já estão sendo impactadas positivamente com o uso dos Grandes Modelos de Linguagem. Crédito: Freepik.

Marco Antonio Zanatta

Arquiteto, fundador e CEO da Aprova, uma suíte de soluções para gestão pública que captou a maior rodada de investimento para uma govtech na América Latina.

Inteligência artificial

Desbloqueando o potencial da IA ​​generativa e da automação de inputs no setor público

03/11/2023 11:09
Na mesma proporção que os smartphones transformaram indústrias e criaram outras totalmente novas na década passada, as aplicações de IA generativa e das automações têm o potencial de mudar a forma de governar em uma escala sem precedentes.
A automação de processos burocráticos, a análise de dados e a comunicação com o público são apenas algumas áreas que já estão sendo impactadas positivamente com o uso dos Grandes Modelos de Linguagem (os LLMs ou Large Language Models).
O mais conhecido dos Modelos de Fundação e sua técnica de treinamento de IA - chamada de Transformers (Transformadores) - são empregados para resolver problemas de linguagem com algoritmos de NLP (Natural Language Processing).
O ChatGPT utiliza esta técnica. Um exemplo simples do uso de LLM é o preenchimento automático em formulários e em celular ao digitar uma mensagem. O sistema oferece alternativas de palavras a serem escolhidas dentro do contexto de sua frase.
Enquanto falamos de adivinhar a próxima palavra ou duas com a IA convencional, os LLMs elevam este conceito, conseguindo prever até 700 palavras, antes ou depois. Esse modelo compreende e gera textos com uma quantidade absurda de dados.
São IAs que podem aprender por conta própria. E você já deve ter ouvido falar em algumas delas, além do popular ChatGPT:
  • DALL-E
  • Bing Chat
  • Midjourney
  • GPT-3 e GPT-4
  • Jasper
  • Google Bard
Diferente da IA convencional, programada para executar tarefas específicas, a IA generativa é baseada em algoritmos de aprendizado de máquina que são treinados usando enormes conjuntos de dados para criar algo novo e inesperado.
Ao aprender profundamente a linguagem humana de maneira autônoma, de forma natural e eficiente, se torna mais precisa e eficiente. Com a ajuda de técnicas de Machine Learning, calcula-se que a IA generativa cresce em tamanho e sofisticação dez vezes ao ano.

Como funcionam os LLMs, na prática?

Os Large Language Models utilizam uma técnica chamada de aprendizagem supervisionada, que consiste em fornecer exemplos de textos e mostrar como o modelo deve reagir a cada um deles. A partir desses exemplos, os modelos conseguem identificar padrões e aprender a produzir textos originalmente.
Esses modelos são treinados em grandes conjuntos de dados, que podem incluir textos de livros, artigos de jornais, conversas em redes sociais e muito mais. Eles são capazes de identificar padrões e relações entre as palavras e frases nesses textos, o que lhes permite gerar novos textos com base nesse conhecimento.
Alguns dos exemplos mais conhecidos de Large Language Models são o GPT-2, desenvolvido pela empresa OpenAI, o BERT, desenvolvido pelo Google, e o T5, do Google Brain. Esses modelos já estão sendo aplicados em diversas áreas, como na produção de texto para marketing e na criação de assistentes virtuais.
Estes modelos textuais não servem apenas para ensinar ou traduzir linguagens humanas, mas para outras aplicações como:
  • Aprimorar mecanismos de busca;
  • Escrever poemas e livros ou compor música;
  • Programar código de computador;
  • Entender proteínas, moléculas, DNA e RNA.
Acrescento a essa lista a sua valiosa contribuição para o setor público, seja para melhorar a qualidade dos serviços oferecidos à população ou para reduzir o risco de fraudes e corrupção.
Além das áreas que já mencionei, como automação de processos burocráticos, análise de dados e tomada de decisão, comunicação e atendimento ao público, há outras possibilidades que podem ser exploradas com os LLMs, como por exemplo:

Gerenciamento de projetos e planejamento estratégico

Os Large Language Models podem ser aplicados no gerenciamento de projetos e planejamento estratégico, auxiliando na criação de cronogramas, identificação de riscos e oportunidades, e na elaboração de planos de ação.
Com a capacidade de processar grandes quantidades de informações, podem ajudar a identificar tendências e prever possíveis cenários futuros.

Monitoramento de redes sociais

Com o grande volume de informações circulando nas redes sociais, o monitoramento desses canais pode ser uma tarefa difícil para servidores públicos e crucial para gestores.
Os LLMs podem ser utilizados para monitorar e analisar as redes sociais, identificando problemas e demandas da população em tempo real. Isso embasa a tomada de decisões e melhora a comunicação com a sociedade.

Tradução automática

A tradução de documentos oficiais é uma tarefa importante na gestão pública, especialmente em países multilíngues como o Brasil. Os LLMs podem ser utilizados para traduzir documentos de forma automática e precisa, reduzindo o tempo e os custos envolvidos nesse processo.

Desenvolvimento de políticas públicas

As aplicações de IA generativa também podem ser empregadas no desenvolvimento de políticas públicas, auxiliando na análise de dados e informações relevantes para a elaboração de propostas mais eficientes e adequadas às necessidades da população. Isso porque essa tecnologia ajuda a identificar problemas e desafios em áreas como saúde, educação, meio ambiente e segurança pública, e sugerir soluções inovadoras e eficazes.

Uma nova fronteira: gerar documentos do zero

Podemos dizer que as IAs generativas são a vertente mais criativa da inteligência artificial devido à capacidade de criar novas informações a partir de conjuntos de dados pré-existentes. Se tornam capazes de gerar novos dados, semelhantes aos utilizados para ensinar a IA, mas que podem ser únicos e originais.
Na esfera pública, a IA generativa de documentos é uma aplicação cada vez mais comum. Essa ferramenta permite que relatórios e documentos sejam gerados automaticamente a partir de uma grande quantidade de dados e textos.
É inegável a capacidade de reduzir o tempo gasto na criação desses documentos e aumentar a precisão e a qualidade das informações. Além disso, pode ser utilizada para personalizar documentos para diferentes públicos, algo muito útil em diversos contextos.
Por exemplo, é possível produzir comunicados que precisam ser enviados para a população, que podem ser adaptados para diferentes perfis de cidadãos, como idosos, deficientes e estrangeiros.
Além da agilidade e redução de custos, destaco alguns benefícios para a gestão pública:
  • Redução do tempo gasto na criação de relatórios e documentos;
  • Aumento da precisão e da qualidade das informações geradas;
  • Possibilidade de personalização de documentos para diferentes públicos;
  • Contribuição para a transparência na gestão pública;
  • Maior eficiência nos processos burocráticos.
Apesar dos desafios ainda presentes, o céu será o limite nesse novo universo da IA generativa com as amplas opções fornecidas pelas LLMs e suas vastas coleções de dados, capacidades de processamento e geração de conhecimento em cada uma das novas iterações.

O poder das automações: menos erros e mais eficiência

A automação de inputs com o uso de Large Language Models é uma tendência tecnológica na gestão pública. Isso é especialmente importante em áreas como finanças e recursos humanos, nas quais as informações precisam ser precisas e bem organizadas.
Também pode ser aplicada em outras áreas públicas, como na criação de relatórios e na atualização de bancos de dados. Além de reduzir erros e aumentar a eficiência, a automação padroniza processos.
É possível automatizar tarefas repetitivas - que não é raro dominar boa parte da rotina diária - e liberar os funcionários para se concentrarem em atividades mais estratégicas e que geram impacto realmente positivo.
Esse modelo de automação também pode ser integrado com sistemas de gestão pública. Isso permite que os dados sejam inseridos e processados automaticamente, reduzindo o tempo gasto com trâmites excessivamente burocráticos.
Outra vantagem é a possibilidade de gerar relatórios em tempo real. Com a automação, os dados são atualizados automaticamente e podem ser acessados pelos gestores a qualquer momento, permitindo a tomada de decisões mais rápidas e precisas.
Uma aplicação bastante comum é a automatização da criação de contratos. Com isso, o tempo gasto na criação do documento é reduzido de horas para poucos minutos.
A atualização do cadastro de imóveis com a ajuda dos LLMs permite que um sistema verifique automaticamente se as informações estão corretas e atualize a base de dados de forma mais rápida e eficiente.
Reduzir o tempo gasto em tarefas repetitivas e garantir a integridade dos dados é a premissa da IA generativa, que também está desbloqueando um novo caminho no setor público, com mais segurança e menos risco de fraudes, graças ao potencial da tecnologia.

Enquete

A inteligência artificial está transformando rapidamente aspectos da sociedade. Como você percebe o impacto da IA em nossas vidas?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão