Thumbnail

Agora, os holofotes se voltam para posições que devem surfar a onda da inteligência artificial generativa, tendência que se cristalizou em 2023, na esteira do sucesso do ChatGPT. Crédito: Freepik.

Marcelo Gripa

Marcelo Gripa

Marcelo Gripa é jornalista, especialista em comunicação corporativa e co-fundador da Futuros Possíveis, plataforma que gera discussões e inteligência sobre futuros.

Futuro do trabalho

5 novas profissões não óbvias relacionadas à IA

09/01/2024 15:27
O impacto da inteligência artificial nas empresas fica mais evidente à medida que o entendimento sobre a tecnologia aumenta e o acesso a ela se amplia. A melhoria na eficiência de processos, por meio da automatização, é apenas uma parte desta história. A outra revela um horizonte de novas profissões dedicadas a lidar com os efeitos da IA no ambiente de negócios.
Para acompanhar a transformação tecnológica nos últimos anos, cargos como cientista de dados, engenheiro de inteligência artificial e especialista em cibersegurança ganharam protagonismo. Agora, os holofotes se voltam para posições que devem surfar a onda da inteligência artificial generativa, tendência que se cristalizou em 2023, na esteira do sucesso do ChatGPT. A ferramenta se notabilizou por gerar conteúdos em tempo real a partir de comandos dados por usuários.
Que novas profissões são essas, afinal? No principal evento da Oracle sobre inteligência artificial para o Brasil (Data & AI Forum), realizado em novembro do ano passado, em São Paulo, o VP sênior de marketing e operações da empresa, Gabriel Vallejo, compartilhou uma lista de profissões consideradas por ele “não tão óbvias” impulsionadas pelo novo momento da IA. São elas:
Engenheiro de prompt: profissional que orienta soluções de IA generativa para gerar os resultados esperados. É sua função fornecer textos precisos, com instruções detalhadas, para alimentar os modelos e tirar o melhor proveito possível da tecnologia.
Especialista em processamento de linguagem neural: profissional que gerencia a relação entre a máquina e a linguagem humana. É sua função garantir que assistentes de voz como Siri e Alexa entendam o que é dito por uma pessoa e possam retornar os comandos com respostas satisfatórias.
Pesquisador de inteligência artificial: profissional dedicado a melhorar a forma como uma máquina pensa e opera a partir da pesquisa de novos modelos para o desenvolvimento de algoritmos ainda mais precisos.
Especialista em ética e direito com conhecimento de IA: profissional orientado a evitar que a tecnologia seja usada para o cometimento de fraudes ou violações à privacidade e à propriedade intelectual ao ser treinada com dados já existentes.
Auditor de algoritmos: profissional capaz de garantir o funcionamento adequado e transparente de um algoritmo, que nada mais é do que a sequência de instruções ou comandos capaz de executar determinada tarefa ou resolver um problema.
Para Vallejo, o uso da IA nas empresas está a serviço da potencialização das capacidades humanas, e não da substituição da força de trabalho. Na visão dele, o futuro do trabalho vai privilegiar quem souber conviver com a tecnologia - em vez de apenas operá-la. O desafio, disse no evento, estará na interação intelectual com as máquinas para aproveitar seu potencial máximo. "Temos que capacitar as pessoas a fazerem perguntas perspicazes e instigantes", resumiu.

De olho no mercado

Não é de hoje que o mercado de trabalho está aquecido para postos relacionados à tecnologia, tanto que sobram vagas. Segundo previsão do Google, até 2025, o Brasil terá um déficit de 530 mil profissionais de tecnologia. O relatório foi produzido em parceria com a Associação Brasileira de Startups (Abstartups).
Para Bruno Martins, CEO da Trilha Carreira Interativa, a procura por cargos relacionados à inteligência artificial ainda se concentra em empresas de tecnologia e telecomunicações, mas a disseminação para outras indústrias é uma questão de tempo. “Diferente de outros países mais avançados, a implementação dessa tecnologia nas empresas no Brasil ainda é incipiente em alguns setores. À medida que a tecnologia for aprimorada, novas demandas por especialistas vão surgir e ser ampliadas", prevê.
Na visão dele, para se manter competitivos, todos os setores precisarão estar automatizados e o investimento em inteligência artificial é uma “tarefa imprescindível". Considerando a falta de mão de obra especializada, Martins recomenda que as empresas comecem, desde já, a capacitar profissionais de outras áreas em IA para atender as oportunidades de mercado no presente e no futuro próximo.

E vem aí o GazzSummit

O GazzSummit Agro e Foodtechs é uma iniciativa pioneira do GazzConecta para debater o cenário de inovação em dois setores de grande relevância para o país. O evento será realizado nos dias 8 e 9 de maio de 2024 com o propósito de conectar e promover conhecimento para geração de novos negócios, discussão de problemas e desafios, além de propor soluções para o setor.
O GazzSummit promove a disseminação de tecnologias e práticas de inovação que possam levar a cadeira produtiva ainda mais longe. Uma super estrutura espera os participantes, que poderão conferir mais de 30 palestrantes e mais de 300 empresas. O evento vai reunir players importantes do ecossistema como grandes empresas, cooperativas, produtores, entidades públicas, startups e inovadores. Garanta já a sua inscrição no site.

Enquete

As ferramentas de IA estão se tornando cada vez mais populares e acessíveis, com diversas opções disponíveis para diferentes necessidades. Qual delas você mais utiliza?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão