Thumbnail

O CEO da Apple, Tim Cook, apresenta as últimas novidades da empresa a WWDC 2019, a conferência para desenvolvedores da Apple.

Camila Farani

Privacidade

A maçã virou uma “rede social do bem”?

09/06/2019 22:00
Quando falamos de rede social, qual é a principal crítica que mais escutamos hoje? Falta de privacidade. Os escândalos que vêm assombrando a mente de Mark Zuckerberg e do Facebook com o processo de vazamento de dados de mais de 50 milhões de pessoas no mundo parece não ter fim. Isso mancha consideravelmente a reputação de uma marca que possui simplesmente as maiores redes sociais embaixo de seu guarda-chuva: além do Facebook, o Instagram e o WhatsApp.
São 2 bilhões de pessoas usuárias do FB. Em resposta a toda essa polêmica, nessa semana, os acionistas da rede social anunciaram que querem Zuckerberg fora da presidência, pois ele acumula cargos e, com isso, sempre terá a palavra final. Ou seja, é possível que teremos mudanças à vista.
Quando mudanças acontecem, o mercado se movimenta também. E eis que surge a Apple, que de forma inteligente, percebeu esse gap e decidiu inovar anunciando mudanças no seu iOs, que o transformam numa espécie de “rede social do bem”. Será basicamente um software que imita as ferramentas do Facebook, mas sem a pressão de compartilhamentos excessivos. Genial, não?
E não pára por aí: o login dos usuários diretamente pela Apple permitirá ocultar informações sigilosas, como endereços de e-mail. Eles usarão o FaceID ao invés de precisar criar um novo nome de usuário e senha para se inscrever em um aplicativo de terceiros. Sabe o que isso significa? Que os usuários poderão bloquear permanentemente as mensagens de spam do aplicativo, e com isso deixarão de receber mensagens de marketing, como nos anúncios do Facebook Custom Audience. É uma jogada poderosa que colocará o Facebook para refletir e agir, em termos de privacidade.
Trata-se de uma tacada genial, que, se formos parar para analisar, está dentro do core business da Apple. É justamente o que eles sabem fazer de melhor. A privacidade tem sido um ponto central da Apple durante anos, desde o enclave seguro do iPhone e FaceID, até a criptografia de mensagens para proteção contra rastreamento. Cada vez mais, a Apple está levando a privacidade adiante na experiência do usuário para destacar como podemos aproveitar menos o compartilhamento. Esse novo momento da maçã pode ser interessante, principalmente, pelo posicionamento que vai ocupar e não pelo produto que quer criar. A intenção é ser uma opção confiável e não em larga escala. Já que a empresa comprovou sua incapacidade de construir grandes estruturas de redes sociais como, Ping, o Apple Music Connect e o iMessage.

Então quais serão essas mudanças?

Recomendações para mensagens de fotos
Quando você abre a folha de compartilhamento para uma foto ou vídeo no iOS 13, a Apple recomendará que as pessoas enviem para o iMessage ou Mail, para contatos frequentes. Com apenas alguns toques, você pode entregar suas imagens em particular para seus amigos mais próximos e bate-papos em grupo favoritos, o que pode eliminar a necessidade de publicá-la mais amplamente no Facebook ou no Instagram.
Asocial Media Tools
O Instagram não oferece nenhuma maneira de baixar uma foto ou vídeo que você edite sem primeiro postá-lo no feed primeiro. O iOS 13 permite que você edite vídeos para iluminação, cor, contraste e muito mais, além de girar clipes que você acidentalmente fotografou de lado - tudo o que o Instagram e o Facebook não conseguem fazer. E com o novo recurso do Photo Day, a Apple automaticamente oculta e enfatiza diferentes fotos de cada dia para criar layouts em estilo de revista. Isso acende a nostalgia e cria um diário visual sem o constrangimento de todo esse conteúdo estar nas mídias sociais para alimentar os recursos TimeHop e Facebook On This Day.
Memoji
O iOS 13 permitirá que você opte por compartilhar seu nome e Memoji (ou uma foto real) para que novos parceiros de conversa, como amigos de bate-papo em grupo, possam identificá-lo melhor sem mostrar seu rosto a estranhos. E o Memoji agora pode ser usado como adesivos pré-gerados no bate-papo, tornando-se um concorrente direto do BitMoji do Snapchat e dos Avatares do Facebook que foram lançados.
AirPods Audio Sharing
E se, ao invés de divulgar o que você está ouvindo nas mídias sociais, pudesse canalizar instantaneamente o som para os fones de ouvido também para que você esteja sincronizado? É assim que o próximo AirPods Audio Sharing funcionará, permitindo trocar de música por Bluetooth sem expôr suas preferências.
Mas será o fim da publicidade nas redes sociais? A resposta é não. A questão é que muitas empresas dependem desses recursos e dados para sobreviverem. A Apple terá que sustentar essa estratégia realizando ações de incentivo e crescimento para os desenvolvedores de outras maneiras, como por exemplo, promovê-los na App Store, caso priorizem a opção de login pela Apple. A menos que vire uma regra, os desenvolvedores provavelmente não arriscarão seus negócios mais do que precisam em nome da privacidade. E é neste ponto que a Apple será testada e terá que provar seu poder de barganha para sustentar esse novo modelo de negócio.

Enquete

A inteligência artificial está transformando rapidamente aspectos da sociedade. Como você percebe o impacto da IA em nossas vidas?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão