João Kepler

João Kepler é empreendedor que investe desde 2008. Premiado como melhor Investidor Anjo do Brasil pelo Startup Awards. É diretor na FIESP e na ASSESPRO; conselheiro na ACE, ANPROTEC e ACSP; apresentador do Reality Show [O ANJO Investidor]. Autor de vários livros e conselheiro da Gazeta do Povo.

Autoconhecimento

A luta desnecessária contra si mesmo

19/02/2020 20:20
Os melhores empreendedores são aqueles que têm total consciência e domínio do seu próprio eu. Sabem enxergar e aceitar seus defeitos, virtudes, crenças e limites. Reconhecem onde estão e se desafiam o tempo todo para melhorar sempre e continuar evoluindo. Pensam dentro e conhecem profundamente a própria caixa, passo fundamental antes de querer pensar fora dela.
E é claro que nem sempre essa é uma tarefa fácil, motivo que explica tanta gente “perdida” no mundo sem sequer saber reconhecer seu próprio potencial. Além disso, este exercício geralmente envolve resistência em identificar e aceitar, principalmente, o que não lhe agrada muito. Destacar as qualidades e enumerar o que você consegue fazer é fácil, lidar com o que você não consegue ou não sabe fazer, e com os defeitos que tem, é o grande desafio.
Costumo dizer sempre que, antes de entender de negócios, é preciso entender de gente. Muitos empreendedores pecam por achar que estão lidando com máquinas e não colaboradores ou consumidores do outro lado.
A autoaceitação e o autoconhecimento te fortalece e evita que você lute contra si mesmo e desprenda a energia que poderia ser usada para fazer seu negócio crescer, por exemplo, ou impulsionar novas ideias. Você só cresce quando é capaz de se colocar no lugar do outro, de desenvolver a sensibilidade de ouvir e aceitar críticas e erros, de entender o que precisa mudar e, principalmente, o porquê de ter que mudar certas ações ou atitudes. Ninguém mais compra a ideia de “pessoa perfeita”, “empreendedor completo”, então não tente passar o que não existe, seja no trato com um cliente ou um investidor, a verdade é a melhor moeda de troca nos dias de hoje.
Desperte,
experimente respeitar suas próprias fraquezas e limitações. O primeiro passo talvez
seja encarar de frente o que mais te assusta. Você saberia dizer qual é o seu
fosso? Sabe por que os castelos medievais tinham fossos? Aquela escavação profunda
no seu entorno cheia de água chamado de moat (fosso em português) não
era projetado para entretenimento ou decoração, mas sim como uma forma bastante
inteligente de proteger o castelo dos ataques de inimigos. Já os castelos sem
fossos eram mais vulneráveis a ataques vindos de baixo.
Ou
seja, esse moat era uma grande vantagem interna (em relação ao
sentimento de proteção e autoconhecimento que ali era simbolizado através de
uma condição que poderia ser explorada no bom sentido da palavra) e externa (de
poder), sendo que a prática durou por décadas.
Ao
trazer o termo e seu significado para os dias de hoje, no mundo dos negócios, a
palavra moat significa diferencial competitivo. Então qual é o seu moat?
O que você faz que te protege e separa você da concorrência? Qual o seu
diferencial competitivo? Mais ainda, você é capaz de responder a essas perguntas
ou ainda está lutando contra si mesmo?

Enquete

A inteligência artificial está transformando rapidamente aspectos da sociedade. Como você percebe o impacto da IA em nossas vidas?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão