Thumbnail

Vitor Torres

Vitor Torres é administrador de empresas, CEO e fundador da Contabilizei, o primeiro e maior escritório de contabilidade online do país. Além de conduzir a Contabilizei, Vitor compartilha seus aprendizados por meio de palestras em grandes empresas e instituições como Santander e Sebrae. É conselheiro da Gazeta do Povo.

Parte I

Cultura organizacional como diferencial competitivo dos negócios na era digital

29/01/2020 19:37
Imagine
uma organização com pessoas engajadas, com alta produtividade e determinadas a
alcançarem os objetivos do negócio. Imagine uma organização onde o propósito
das pessoas é conectado com o do negócio. Imagine uma organização onde as
pessoas possuem autonomia e podem, de fato, atuarem como donas do negócio.
Todas essas situações e muitas outras são reflexos de uma cultura
organizacional forte.
Parece
tudo muito utópico e, muitas vezes, a cultura organizacional é
representada  por um ambiente estilo Google e seus escritórios repletos de
mesas de sinuca, piscina de bolinhas, snacks e refrigerantes gratuitos, etc. Na
verdade, cultura forte significa algo totalmente diferente e é vista como o
principal diferencial competitivo das startups frente às grandes corporações. A
partir da crença que o conhecimento precisa ser disseminado, me proponho, neste
e em outros artigos, desmistificar a cultura e compartilhar o meu aprendizado
na criação e gestão da cultura na Contabilizei. Neste primeiro, compartilho a
minha visão de cultura e por que uma cultura forte é tão importante para o negócio.

O que é a cultura organizacional?

Se
buscarmos a definição na Wikipédia, encontraremos: "cultura organizacional
é a cultura em seu sentido antropológico existente em uma organização composta
por práticas, símbolos, hábitos, comportamentos, valores éticos e morais, além
de princípios, crenças, cerimônias, políticas internas e externas, sistemas,
jargão e clima organizacional."
É uma boa resposta técnica e pragmática, mas não responde de maneira adequada quando queremos de fato entender e implementar uma cultura forte. Em uma definição mais prática e objetiva seria "a cultura é o sistema operacional da empresa". Por isso vou utilizar um exemplo: computadores. Todos computadores possuem diversos componentes físicos, como: monitor, teclado, mouse, unidade de armazenamento, memória etc. E para funcionar todos computadores, precisam de um sistema operacional, como o Windows.
Como
sistema operacional, ele une os componentes físicos do computador para que
funcionem em conjunto. Ou seja, cada vez que digitamos algo no teclado, o
sistema operacional une o teclado, o monitor, o software utilizado (Word, por
exemplo) e faz com que o resultado da digitação apareça na tela. Em suma, se
não houver um sistema operacional, os diversos componentes não se conectam e o
computador seria um conjunto de peças desconectadas e sem vida. O mesmo se
aplica à cultura organizacional.
A cultura organizacional é o sistema operacional da empresa porque conecta todos os componentes da empresa, tais como: pessoas, áreas, objetivos, processos, tecnologia, etc. Sob esse olhar, a cultura é a forma como as pessoas e as áreas se relacionam entre si no ambiente da empresa. É a forma como os objetivos são perseguidos, os problemas identificados e resolvidos, as oportunidades mapeadas e o propósito de existência das pessoas unificado com o da empresa.
E por que é tão importante para o negócio ter uma cultura forte? Para crescer e se manter no mercado altamente competitivo. Com base em pesquisas realizadas pelas consultorias FTSE Russel e Great Places To Work, empresas com cultura forte performam cerca de três vezes mais que empresas na média de mercado segundo a consultorias. Além disso e, na minha visão, o principal motivo da perenidade, é que uma cultura forte não pode ser copiada pelos concorrentes, tornando-se o principal ativo e vantagem competitiva.
No mundo
contemporâneo praticamente tudo pode ser copiado pelo mercado: produto,
tecnologia, website, estratégias de comunicação, go-to-market, vendas etc. Mas,
ninguém pode visitar sua empresa e copiar ou fotografar a sua cultura
organizacional. Não pode copiar a forma como os problemas são tratados pelas
áreas e pessoas, a conexão entre o propósito individual e do negócio, as
pessoas da organização, e assim por diante.
Quanto
mais forte a cultura, é maior a confiança que as pessoas possuem umas nas
outras e na organização. O sistema se torna orgânico e menos corporativa a
empresa precisa ser. Em uma organização com cultura forte, as pessoas assumem o
protagonismo e sentem-se donas do negócio, porque há menos controle e a
autonomia é valorizada possibilitando a busca contínua do propósito e objetivos
da empresa, além do seu propósito pessoal. É preciso enxergar a cultura
organizacional como o principal sistema operacional do negócio. Através da
cultura forte, todas as pessoas e áreas se conectam em busca do propósito da
empresa, alavancando a performance do todo. Além disso, como a cultura não pode
ser copiada pelos concorrentes, ela se transforma no principal diferencial
competitivo das empresas.
Então, qual é o sistema operacional que está “instalado” na sua empresa? No próximo artigo, compartilharei os desafios e o papel do líder na criação e gestão de uma cultura forte.
Sobre a empresa
Fundada em 2013, a Contabilizei é hoje o maior escritório de contabilidade do país e pioneira em oferecer o serviço totalmente online. Com o objetivo de oferecer mais praticidade, transparência e economia para micro e pequenas empresas e profissionais liberais, a plataforma faz uso da tecnologia para automatizar processos e rotinas garantindo a regularidade das empresas, além de gerar até 90% de economia mensal para as PMEs. Atualmente possui mais de 10 mil clientes espalhados por 48 cidades no país.

Enquete

A inteligência artificial está transformando rapidamente aspectos da sociedade. Como você percebe o impacto da IA em nossas vidas?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão