Thumbnail

Painel do Viasoft Connect reuniu Gustavo Lacerda, VP da Globo Ventures, Pedro Veiga, acionista do grupo GRPCOM, e Rodrigo Libório, diretor comercial da RPC para debater media for equity.

Painel Media for Equity no Viasoft Connect

Stone, Petlove e QuintoAndar: entenda o Media for Equity, tese de investimento que troca exposição de mídia por participação acionária

GazzConecta
23/06/2023 21:23
Os grandes grupos de mídia também estão de olho em startups, novos negócios e empresas em ascensão. Exemplo disso é o media for equity (ou media for growth), um modelo alternativo de investimento em que empresas captam valor para seus negócios junto a grupos de comunicação ou mídia alternativa, trocando partes acionárias por exposição de marca e estratégias de marketing.
Este é um tipo de investimento que vem sendo utilizado tanto por empresas de venture capital e, especialmente, startups que alcançaram autonomia financeira no mercado. A fintech Stone, o maior petshop online do pais, Petlove, assim como o unicórnio QuintoAndar estão na lista das empresas que receberam este tipo de aporte.
A Stone, por exemplo, é um caso dessas empresas que, depois de se consolidarem no mercado, buscaram em media for equity a possibilidade de escalar seus negócios em uma parceria com a Globo Ventures, braço de investimento do Grupo Globo. Após o aporte, a fintech tem alcançado crescimentos superlativos.
O crescimento deste tipo de investimento foi o tema do painel “Media for Growth: Investimentos Estratégicos em Negócios com Potencial de Crescimento”, que integrou a programação no último dia do Viasoft Connect, nesta sexta-feira (23).
Participaram do painel Gustavo Lacerda, VP da Globo Ventures, Pedro Veiga, acionista do grupo GRPCOM, e Rodrigo Libório, diretor comercial da RPC. A mesa-redonda foi mediada pela head da PinÓ, spin-off do Jornal Gazeta do Povo, Andréa Sorgenfrei. Nele, cada um trouxe as perspectivas necessárias para que cada grupo de comunicação troque mídia por equity em relação a startups e outras empresas.
Em um meio que investidores se mostram mais cautelosos e as empresas precisam mostrar resultados, provando sua aderência no mercado, negócios mais maduros e com possibilidade de ampla projeção são aqueles que têm mais chances de obterem investimentos com retorno de mídia. “A busca, hoje, é por empresas que estejam em um estágio de maturidade mais avançado, tanto em relação ao produto, quanto em termos de tecnologia”, destacou Lacerda, da Globo Ventures.
“É neste ponto em que os empreendedores começam a buscar mídia ao invés de capital, para projetar seus negócios, porque eles já entenderam a importância dos meios de comunicação quando a performance já está consolidada, mas é preciso consolidar suas marcas”, explicou Pedro Veiga.
Além da maturidade da marca, outro ponto reforçado por Veiga é a qualidade do empreendedor e do seu time para seguir com seus negócios até os investimentos trazerem resultados. “A partir daí, conseguimos fazer o alinhamento de construção de estratégia de produto e estratégia de mídia”, conta.
O potencial empreendedor é um dos critérios também levados em conta pela Globo Ventures. Fundo de investimentos multiestratégia do Grupo Globo, a empresa já aportou 30 negócios, 20% deles em media for equity. Lacerda destaca que a gestora de venture capital está em busca “dos melhores empreendedores que estão criando as melhores empresas em grandes mercados”.
“A gente olha para diversas características. Além do perfil do empreendedor, outro fator importante é o tamanho do mercado. Estamos buscando empresas que estão atacando mercados grandes, que tem um potencial de se tornarem gigantescas, e que possuam um diferencial competitivo. Mas é fundamental que quem a lidera seja capaz de levar o negócio até o patamar de retorno financeiro”, completa.
Composta+ e Wap estão no portfólio de investimentos do GRPCOM
O GRPCOM (Grupo Paranaense de Comunicação), maior grupo de comunicação do Paraná, detentor de marcas como RPC, Gazeta do Povo, Tribuna, 98FM e Mundo Livre também investe em empresas nesta modalidade. Estão no portfólio de aportes a startup curitibana Composta+, assim como a empresa de soluções para limpeza e manutenção Wap.
Para Rodrigo Libório, optar por mídia em troca de equity é uma decisão estratégica na qual é preciso pensar onde alocar recursos para potencializar o negócio. “A geração de marca é importante e nós entendemos que a mídia acelera o crescimento dos negócios”, ressaltou.
Ainda de acordo com Libório, a vocação de um grupo de mídia como o GRPCOM é alavancar os negócios do estado. “Unimos todo o ativo que temos no grupo, ajudamos as empresas neste processo de crescimento. Nosso papel é impulsionar o crescimento das empresas paranaenses por meio dessa exposição”, destaca.

Enquete

A inteligência artificial está transformando rapidamente aspectos da sociedade. Como você percebe o impacto da IA em nossas vidas?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão