Thumbnail

A pesquisa “Conflito geracional no trabalho: como diminuir diferenças e construir um ambiente diverso” foi realizada pelo GazzConecta, a Muuda.Work e a Maturi.

Conflito de gerações no ambiente de trabalho

Pesquisa exclusiva: 66% dos profissionais não veem conflito entre gerações no ambiente de trabalho

Flávia Schiochet, da Content Store
23/08/2023 13:58
O aumento da expectativa de vida e o avanço das tecnologias transformaram o ambiente de trabalho nas últimas décadas. Com a frenética digitalização das empresas, o tempo, que já separa as gerações naturalmente, acelerou-se. As empresas passaram a ter um ritmo de trabalho mais intenso, digital e, muitas vezes, com quatro gerações coexistindo nas corporações: Baby Boomers (1946-1964), X (1965-1980), Y (1981-1996) e Z (nascidos a partir de 1997).
Com tamanha diversidade, será que as gerações entram em conflito no ambiente de trabalho? Foi esta a pergunta que norteou a pesquisa "Conflito geracional no trabalho: como diminuir diferenças e construir um ambiente diverso", realizada pelo GazzConecta, plataforma de inovação e empreendedorismo da PinÓ, a Muuda.Work, especialista em recrutamento, e a Maturi, focada em capacitação para empresas e pessoas 50+, visando o aumento da diversidade etária no mercado de trabalho.
O e-book com todos os resultados do levantamento foi lançado na manhã desta quarta-feira 23, durante a programação do MaturiFest, maior festival de trabalho e empreendedorismo 50+ do Brasil. O estudo busca verificar quais são as diferenças geracionais, seus comportamentos no ambiente de trabalho, assim como entender se, de fato, há um conflito de gerações em empresas.

Há ou não um conflito entre as gerações?

66% dos respondentes da pesquisa, realizada via questionários no LinkedIn, apontaram que é um exagero falar em conflito de gerações em ambientes de trabalho. Porém, a geração Z, dos nascidos a partir de 1997, foram os apontados como os maiores causadores de problemas. Ou seja: mesmo quem acredita que não haja conflito entre os mais jovens e os mais experientes tem um palpite sobre o “culpado”.
 Imagem: Reprodução.
Imagem: Reprodução.
O estudo identificou também que, por ser intermediária, a geração Y aparece como o agente que dá coesão ao grupo, uma vez que compreende a mentalidade das gerações Baby Boomer e X (mesmo quando não concorda com ela), e porque compartilha de alguns anseios da geração Z, ainda no início de carreira.
Para a geração X, os Millenials eram apressados demais. Isso até a geração Z entrar no mercado de trabalho. “A geração Z é ultra-ambiciosa, mas não quer passar pela jornada do aprendizado, pelo erro e acerto”, observa Fabiana Alonso, Human Resources Business Partner da PepsiCo.
 Imagem: Reprodução.
Imagem: Reprodução.
Esse encontro entre visões de mundo tão diversas pode ser uma fonte rica de aprendizado e inovação, mas também pode levar a conflitos e desafios nas relações interpessoais. Na enquete feita pelo Google Forms, 79,5% dos gestores acreditam que vivem ou viveram uma “guerra de gerações” e 66,7% apontaram para a geração Z como a que mais causa conflitos nas companhias.
Imagem: Reprodução.
Imagem: Reprodução.

Principais características de cada geração

As gerações Baby Boomer, X, Y e Z têm desejos semelhantes, mas abordagens diferentes em relação ao estilo de liderança, dinâmica de trabalho e relacionamento interpessoal. Por isso a pesquisa também enfatiza as principais características de cada geração.

Características da geração Baby Boomer (1946 – 1964)

  • Possuem conhecimento do mercado tradicional e práticas consolidadas e têm a capacidade de antecipar problemas e trabalhar com prudência e moderação.
  • Respeitam a autoridade e se adaptam bem às estruturas hierárquicas tradicionais e verticalizadas. Tendem a ser líderes mais diretos e autocráticos.
  • Trabalham por um legado e têm orgulho de ter colaborado junto com a empresa.

Características da geração X (1979 – 1980)

  • Tendem a permanecer mais tempo nas organizações e valorizam a estabilidade profissional.
  • Tendem a ser líderes mais diretos e autocráticos. Trabalham por um legado e têm orgulho de ter colaborado junto à empresa.
  • Por já terem conquistado uma carreira, procuram balancear o tempo entre trabalho e vida particular. Preferem a comunicação face a face e são menos adeptos das plataformas digitais.

Características da geração Y (Millennials, 1981 – 1996)

  • Ambiciosos, buscam constantemente oportunidades de crescimento profissional e pessoal.
  • Valorizam a flexibilidade no trabalho e são adeptos do trabalho remoto e híbrido, fazendo uso intenso das tecnologias digitais.
  • Esperam receber feedback com frequência e serem reconhecidos por suas contribuições.

Características da geração Z (a partir de 1997)

  • Tendem a ser empreendedores, criam seus próprios negócios ou projetos, e encorajam a criatividade e inovação da equipe.
  • Valorizam a colaboração e o trabalho em equipe de forma horizontal.
  • Esperam ser reconhecidos e promovidos com rapidez, e procuram por oportunidades para subir de cargo em alguns meses.

Metodologia de pesquisa

Foram usadas duas plataformas para a pesquisa: o LinkedIn e o Google Forms. As amostras de ambas as enquetes foram voluntárias e aleatórias. No LinkedIn, foi feita uma série de perguntas sobre a contribuição das gerações para um clima amigável ou conflituoso no trabalho.
No total, 3.545 pessoas responderam. Uma nova pesquisa foi realizada pelo Google Forms na sequência, desta vez voltada a gestores de recursos humanos e de negócios, para complementar o assunto, e teve 78 respondentes voluntários.

Enquete

A inteligência artificial está transformando rapidamente aspectos da sociedade. Como você percebe o impacto da IA em nossas vidas?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão