Thumbnail

Franquias de microcafeterias: conheça o modelo em tendência

Mais1 Café

Franquias de microcafeterias: conheça o modelo em tendência

Papo Raiz*
17/08/2022 18:05
Café de qualidade e com a agilidade que o cliente merece. Foi com esse slogan e com um bom planejamento que a Mais1 Café, rede de cafeterias automatizada, conseguiu driblar a crise ocasionada pela pandemia e se tornar um modelo inovador no ramo de microcafeterias no Brasil, inspirado em cafeterias de Nova York e Europa. O sócio-fundador e diretor da rede, Hilston Guerim, participou do podcast Papo Raiz e contou um pouco sobre a trajetória de sucesso desse negócio, que desde a sua criação priorizou a experiência do consumidor.
Segundo o empresário, a ideia da Mais1 surgiu em 2019 enquanto ele e alguns colegas voltavam de um almoço, em Curitiba. Guerim lembrou que, naquele dia, eles passaram para pegar um café antes de seguir para o escritório, onde teriam uma reunião. No entanto, a experiência que tiveram em uma cafeteria não foi muito boa. O problema fez com que os amigos pensassem na possibilidade de abrir um negócio voltado para a venda de cafés, mas que tivesse qualidade, velocidade e praticidade para o cliente e, após muitas pesquisas, o negócio foi se desenvolvendo e já se estabelecendo com o propósito de ser uma franquia de microcafeterias.
“A característica da Mais1 é essa velocidade e as pessoas entenderem o que é um café de qualidade, rápido e acessível. O nosso cliente tem que ser impactado algumas vezes pela marca até ele considerar que pode consumir o produto”, explicou Hilston Guerim.
A rede de microcafeterias, que conseguiu o grande feito de abrir mais de 240 lojas em apenas 18 meses, se construiu a partir de observação de erros que já existiam e que não tivesse muitas barreiras de crescimento, conforme destacou Guerim. “Pensamos que teria de ser uma franquia de rua, que fosse pequena, que não precisasse ter dez funcionários e que tivesse um produto que fosse a grande estrela e não somente o serviço e atendimento”, relatou o sócio-fundador.
Focada em atender as necessidades das pessoas na rotina corrida da vida urbana, a Mais1 Café também se tornou referência em tecnologia no atendimento a partir de um sistema denominado Coffe To Go, no qual o pedido e o pagamento são feitos pelo cliente em um totem e devido ao aplicativo que a própria franquia possui. Essas tendências tecnológicas aliadas a alguns pilares consolidaram ainda mais a proposta da Mais1 que é se tornar uma marca que está profundamente vinculada ao café.
“Hoje as pessoas têm a ideia de tomar café, mas nunca a ideia de tomar tal produto ou uma marca. Então, a nossa proposta não é mais sair para tomar um café, mas que os consumidores pensem: vamos tomar na Mais1. Então, a proposta inicial do nosso time está toda trabalhada em cima disso”, destacou Hilston Guerim.
Em processo de expansão acelerado, o empresário afirmou que a Mais1 foi desenhada para fazer o franqueado nascer, prosperar e crescer muito mais do que apenas vender. “A gente tem que trabalhar para o franqueado dar certo e só vamos ter uma loja de sucesso se o franqueado der certo”, ressaltou.
Essa inquietude e sede de buscar a novidade, além da atração de franqueadores que tenham uma boa pegada empresarial são algumas das características que fizeram e ainda fazem a Mais1 Café criar operações mais rentáveis e gerar oportunidades diversas de negócios.
Ainda durante a entrevista ao Papo Raiz, Guerim apontou alguns detalhes e operações que ajudaram a Mais1 a se consolidar no mercado empreendedor e que também podem ser bastante úteis para outras microcafeterias que estejam surgindo pelo país.

Qual é a margem de lucro de uma cafeteria?

Para saber a margem de lucro de uma cafeteria é importante entender que esse cálculo deve ser feito considerando todos os custos que envolvem o negócio e o produto vendido. Em geral, a margem de lucro fica entre 10% e 15% e pode variar dependendo do número de vendas.
Hilston Guerim explica que esse percentual da margem de lucro também se baseia muito na transparência e no modelo empresarial das microcafeterias. “O lucro está muito atrelado à transparência da rede e no formato da Mais1 Café, a margem de lucro é um pouco baixa, porque se está trabalhando alta qualidade com preços acessíveis”, afirmou o empresário.

Qual é o valor de investimento para abrir uma cafeteria?

As cafeterias se tornaram tendência nos últimos anos, ganhando novas formas e tamanhos em diferentes locais, mas para abrir um negócio desse tipo, além de um bom planejamento, é necessário contar com certo investimento. No caso de uma microcafeteria, o empreendedor consegue iniciar o negócio com um valor que pode girar de R$15.000,00 a R$25.000,00.

Como montar um café com pouco dinheiro?

Se um empreendedor pensa em abrir uma cafeteria, mas tem um orçamento limitado, a dica é que ele comece escolhendo uma estrutura pequena, que fique em um espaço que tenha certo movimento e compre primeiramente equipamentos mais básicos para usar no negócio. Além disso, é importante que, por menor que seja o local, este deve ser legalizado.
Para o sócio-fundador da Mais1 Café, o grande segredo para se montar uma rede de cafés está na operação enxuta, com custos operacionais reduzidos e processos bem desenhados que desenvolvam uma capacidade produtiva muito grande.
“A grande sacada da microcafeteria é que ela tem um custo fixo baixo e, consequentemente, um custo-operacional reduzido. Então, se eu atender a minha demanda total com um profissional trabalhando, porque o processo é muito rápido, eu consigo atender muita gente. E se conseguir atingir uma capacidade de 50% desse profissional, já está dando muito dinheiro, porque é muito baixo o custo operacional”, disse Guerim.

Por que abrir uma cafeteria?

A Mais1 Café já mostrou que as franquias de microcafeterias são uma ótima opção para quem pretende empreender e apresentam inúmeras vantagens em relação aos outros modelos empresariais.
Ocupando o topo na lista das tendências do atual mercado, existem alguns motivos que mostram como abrir uma cafeteria pode ser a escolha certa, entre eles estão: mercado do café em constante ascensão; cafés diferenciados estão ganhando a preferência do público; e ótimo custo-benefício.

Como fazer um projeto de uma cafeteria?

À primeira vista, montar uma cafeteria pode parecer algo simples, no entanto, assim como outros empreendimentos, esse também exige certo esforço e conhecimento para que o negócio tenha sucesso. Um bom projeto para esse tipo de negócio precisa conter informações sobre qual será o cardápio da loja; quem serão os fornecedores; quais as qualificações da equipe; local de instalação; percentual de investimentos para abertura da empresa; previsão de lucros; e por fim o mais importante, qual será o público-alvo.
Segundo o sócio-fundador da Mais1 Café, além de um projeto alinhado, para uma microcafeteria dar certo, também é fundamental que o empreendedor entenda como funciona esse modelo empresarial.
“Dentro de uma franquia ou de qualquer outro tipo de empresa você tem que trabalhar em equipe, então, você tem as pessoas que trabalham no dia-a-dia e aquelas que fazem parte do ecossistema, que são os fornecedores, clientes e os parceiros que vão alavancar o teu negócio”, destacou Hilston Guerim.
Ele ainda deixou um conselho para aqueles que pretendem abrir microcafeterias ou empreender de outras formas. “Quando você começa a olhar o que dá errado e não só o que dá certo, você tem uma capacidade de escala muito maior. A pergunta que a gente tem que fazer é: o que você errou que te permitiu chegar até aqui, mas que se você corrigir vai te permitir chegar em outro patamar?”, concluiu o empresário.
*Artigo produzido pelo Papo Raiz – uma conversa descontraída e divertida sobre empreendedorismo e assuntos em alta na sociedade.

Enquete

Imagine a possibilidade de criar vídeos realistas com ferramentas de inteligência artificial, como o Sora. Você teria interesse em utilizar uma ferramenta como essa no futuro?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão