Thumbnail

Arthur Igreja conversa com o podcast Papo Raiz

Arthur Igreja e Daniel Scott

Os maiores desafios da inovação nos negócios: como sair da caixinha? | Papo Raiz

Papo Raiz*
30/11/2022 18:48
Empreender é sempre um grande desafio, seja para quem pensa em começar nesta área ou para aqueles que já estão com seus negócios em andamento. Com os avanços tecnológicos, algumas tendências passam a fazer parte da construção e consolidação de muitas empresas, dando ao empreendedor mais chances de sobreviver e se reinventar em um mercado de trabalho tão disputado.
No episódio 134 do podcast Papo Raiz, o fundador e CEO da Myndo, que é uma das maiores fintechs de crédito do Brasil, Daniel Scott, compartilhou um pouco da sua experiência na área e deu alguns insights sobre como aproveitar as oportunidades na hora de empreender. Além dele, também participou da entrevista e falou sobre as principais novidades do empreendedorismo, Arthur Igreja, que é palestrante TEDx speaker, especialista em Tecnologia, Inovação e Tendências, e co-fundador da AAA Inovação, empresa de aceleração de resultados.
Durante o bate-papo, os convidados também abordaram um tema que tem entrado constantemente nas conversas de empreendedores: como as empresas serão impactadas no período pós-eleições. Para os especialistas, este ainda é um momento de muitas incertezas para a política e economia do país, mas é importante criar estratégias agora para manter a saúde financeira dos negócios. “Eu vejo que muita gente está apostando num curto prazo e que vai ser bem positiva a injeção de dinheiro na economia. É importante aproveitar esse momento para fazer dinheiro”, afirmou Daniel Scott.
Segundo Arthur Igreja, o cenário fiscal pós-eleições têm preocupado alguns empresários. Ele ressalta que há um certo impacto sobre o médio empreendedor com a nova realidade, mas que é preciso se atentar a atual situação do país e saber se planejar quanto a isso.
“Pensando como empresário, pode ser o governo que seja, mas se você souber o que esperar desse governo, ótimo. O problema para o empresário é a insegurança e a expectativa sobre esse cenário”, explicou.
Além de apontar as situações positivas e negativas do período pós-eleições e dar algumas dicas de como os empresários podem reagir a atual conjuntura do país, os especialistas falaram sobre os motivos que têm levado às demissões em massa nas grandes startups, destacaram a importância de o mercado do empreendedorismo abranger a nova realidade de tendências tecnológicas, para continuar crescendo e gerar mais oportunidades dentro do setor, e ainda deram algumas dicas de como empreendedores podem equilibrar o trabalho e a saúde mental.

Por que as startups têm demitido tantos profissionais?

Para Daniel Scott, é natural haver demissões em startups, muitas vezes, devido à contratação de profissionais que não estavam tão preparados para determinados cargos, mas, ele afirma que algo que tem ocasionado isso também atualmente é a questão da alta dos juros e da recessão econômica, que acabam gerando um cenário menos atrativo para se investir em startups pela questão do risco.
“As empresas estão se preparando para um cenário que vai ser bem difícil, especialmente, no mundo de startup em que os investidores estão segurando recursos”, disse o especialista.

As empresas estão preparadas para as novas tecnologias?

Segundo Arthur Igreja e Daniel Scott, as novas tecnologias estão sendo criadas a todo momento e, por isso, o ideal é sempre acompanhar essas tendências e aplicá-las também como forma de comunicação e estratégia para melhorar a produtividade, eficiência e resultados de um negócio.
Eles apontam a multinacional norte-americana Apple como um bom exemplo de empresa que aderiu às novas tecnologias e ferramentas, entre elas, a realidade virtual, visando revolucionar o desenvolvimento de aplicativos e oferecer melhores experiências aos usuários da marca.

Como as novas tecnologias podem ajudar na abertura de uma empresa?

Acompanhar os avanços tecnológicos é um dos pontos cruciais para as empresas conseguirem se manter ativas no mercado, mas, antes disso, o empreendedor deve ter consciência das metas que quer atingir ao abrir determinado negócio para ter mais chances de crescer e ganhar visibilidade, conforme afirmou Arthur Igreja.
“O primeiro passo que recomendo para as pessoas é entender onde se quer chegar em termos de tamanho de negócio e depois executar e observar o que está rolando de desafios no mundo dos negócios”, aconselhou o palestrante TEDx.
Indo na mesma linha de raciocínio, Daniel Scott explica que o empreendedor precisa saber o que quer e o que pode fazer de inovador em determinado mercado que chame mais a atenção dos consumidores, especialmente, daqueles que o negócio já possui e, só então partir para o uso das tecnologias em benefícios das empresas.
“No Brasil, o empreendedor pensa muito em conseguir mais clientes e, muitas vezes, você não precisa de mais clientes, porque você já tem aqueles que não estão virando recorrente e consumindo tudo que deveriam. É preciso saber vender para os clientes que você já tem na empresa”, disse ele.

A transformação digital mudou a relação entre empresas e consumidores?

A revolução tecnológica favoreceu diversos setores nos últimos anos e também definiu novas formas de clientes e empresas interagirem, seja no universo físico ou online. Diante das novas exigências do mercado, muitos negócios têm se adequado às tendências digitais e aderido ao comércio eletrônico, conforme explicaram os especialistas durante a conversa no podcast.
Para Arthur Igreja, esse novo ecossistema composto pela relação de compra e venda física ou online também tem alguns pontos a serem observados.
 “O online é extraordinário quando você precisa entrar e comprar um único item, a energia gasta ali é instantânea, porque você clica e compra. Já o mercado físico está indo para uma linha de descoberta em que vê o que a pessoa não encontrou no ambiente online para vender no ambiente físico”, analisou.

Como lidar com a saúde mental e o empreendedorismo?

Para Daniel Scott, empreender é uma tarefa desafiadora e solitária e, muitas vezes, por ter que lidar com situações inesperadas e com a gestão de um novo negócio, empreendedores acabam sendo mais suscetíveis a sintomas de estresse, depressão ou ansiedade e, por isso, ele acredita que quem quer entrar nesse mercado precisa saber quais são os objetivos que quer atingir enquanto empresário e ter um controle das emoções.
“Às vezes empreender não é para todo mundo, porque você tem que entender seu limite, onde quer chegar e estar disposto a fazer alguns sacrifícios. Para mim, o que me motiva empreender é ter uma certa liberdade, criar as coisas, mas eu entendo também que tem muitas desvantagens, eu tenho que ter disciplina”, afirmou Scott.
Ele ainda aconselhou que, se uma pessoa não está satisfeita empreendendo e apresenta alguns problemas de saúde mental, seria interessante que a mesma olhasse para a trajetória que teve no mundo dos negócios e procurasse ajuda profissional para lidar com as próprias emoções.
*Artigo produzido pelo Papo Raiz – uma conversa descontraída e divertida sobre empreendedorismo e assuntos em alta na sociedade.

Enquete

Imagine a possibilidade de criar vídeos realistas com ferramentas de inteligência artificial, como o Sora. Você teria interesse em utilizar uma ferramenta como essa no futuro?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão