Thumbnail

Chiquinho sorvetes: a trajetória da maior rede de sorveterias do Brasil

Isaias Bernardes

Chiquinho sorvetes: a trajetória da maior rede de sorveterias do Brasil

Papo Raiz*
14/10/2022 18:56
Que os negócios voltados para a gastronomia são um dos mais lucrativos no Brasil, já não é mais novidade. E dentro desse universo empresarial existem diversas oportunidades para quem busca ter um negócio próprio e investir, seja criando uma marca própria ou optando por abrir uma franquia. Um dos empreendimentos que deu muito certo no ramo gastronômico e se tornou referência no modelo de franquias ao nível nacional é a Chiquinho Sorvetes.
Em entrevista ao podcast Papo Raiz, o fundador da marca, Isaias Bernardes, contou a história de sucesso da empresa e falou sobre quais são os planos de expansão para os próximos anos. Foi em 1980, com o apoio do pai, que Isaias deu vida à rede Chiquinho Sorvetes, um pequeno empreendimento localizado no interior de Minas Gerais.
“Quando eu tinha 18 anos, meu pai propôs a ideia de abrirmos um negócio e após algumas conversas ele decidiu que o ramo de sorvetes seria o melhor. Meu pai confiou esse negócio a mim, e já são 41 anos trabalhando com isso”, disse Isaias Bernardes.
Com um crescimento rápido e desenvolvimento promissor, desde a primeira loja a Chiquinho Sorvetes já tinha em seu DNA a fórmula do sucesso. Uma marca que até então era apenas um sonho familiar, passou a ter como comandante Isaias Bernardes e mais tarde outros familiares que somaram forças e fizeram o empreendimento se tornar uma das preferências do público.
Após alguns anos de trabalho e buscando se especializar ainda mais no ramo, o empresário enxergou o potencial da rede e, então, decidiu partir para Guaíra, no Estado de São Paulo, onde abriu a primeira filial fora da região onde a Chiquinho Sorvetes foi fundada. Foi a partir daí que o comércio até então tradicional passou a ganhar novos ares e conseguiu expandir ainda mais os seus negócios, mesmo enfrentando as adversidades daquela época.
“Passamos por todas as crises, planos de governo, e o primeiro baque foi bem no início com o plano cruzado, no qual teve o congelamento de preço e eu tinha uma dívida bancária que acabou explodindo, então não conseguia repassar os custos. Foram muitos desafios superados ao longo do tempo e fomos adaptando ao momento”, contou Bernardes.
Se desenvolvendo com a característica de ser uma rede familiar, a marca se manteve concentrada no interior de São Paulo e, aos poucos, foi abrindo novas unidades em cidades próximas, as quais eram administradas por cunhados, primos, tios, sendo todos parentes.

Como foi o crescimento do negócio?

Com o passar do tempo, Isaias percebeu que havia uma necessidade de a marca padronizar a linha de produtos e inovar o processo de serviço e atendimento que tinha e foi então, nos anos 2000, que a Chiquinho Sorvetes teve uma virada-de-chave nos negócios ao introduzir em suas lojas o chamado sorvete “soft”, feito de massa e palito, também conhecido como sorvete italiano ou expresso e, devido ao sucesso que essa novidade teve no mercado, hoje a franquia tem esse nicho como o carro-chefe de suas vendas.
“Eu diversifiquei o negócio, entrei com a máquina de sorvete soft e começamos a fazer outros produtos como milkshake, casquinha e cascão. Foi aí que a minha família começou a se interessar para entrar no negócio, pois viram que era bom”, explicou o empresário.
O resultado efetivo do novo projeto de desenvolvimento e expansão da Chiquinho Sorvetes aconteceu entre 2000 a 2010, período em que foram abertas 80 novas lojas e foi quando a família também decidiu formatar o modelo de negócio, inserindo a marca no setor de franquias, após a alta demanda que o empreendimento estava tendo.
“Já estávamos com a marca regional consolidada no interior do Estado de São Paulo, mas começou a ter muita demanda e o pessoal ligava pedindo franquias e foi aí que eu e os principais usuários da marca decidimos criar a Chiquinho Franchising e partimos para o modelo de franquia”, contou Isaias Bernardes.
Com um modelo diferenciado, onde até então o trabalho era com sorvetes artesanais e nas próprias unidades, ao se colocar no mercado com uma franquia, a marca consolidou-se ainda mais no ramo de sorveteria e hoje já possui mais de 570 lojas, alcançando 25 estados brasileiros.

O que faz empreendedores querer investir na marca?

Segundo Bernardes, em 2010, a rede já tinha uma demanda muito grande e assim que se colocaram mercado como franquia, as pessoas já viam que este era um negócio com potencial de sucesso, através da qualidade do produto ofertado e pela quantidade de clientes que iam até às unidades da marca.
Ele ainda destacou o que faz muitos empreendedores apostarem na rede. “O candidato procura uma boa marca, que tem um bom produto, com boa aceitação de mercado e o que o público busca, e a Chiquinho Sorvetes entrega tudo isso, além de um ótimo resultado financeiro que é o principal”, afirmou o empresário.

O que fez a empresa prosperar ao longo dos anos?

Ter foco e trabalhar em uma expansão mais estruturada e melhor planejada, essas foram as principais atitudes que fizeram a Chiquinho Sorvetes se fortalecer ano após ano e entrar para o segmento de franquias com uma boa saúde financeira, segundo Bernardes. “Eu vejo que o responsável pelo sucesso foi o foco do negócio, sempre trabalhando em processos e em melhorias, tanto de produto quanto de serviço. É entregar mais do que se promete e a Chiquinho sempre fez isso”, disse ele.
O empresário pontuou que, de 2000 a 2010, a marca cresceu em média 30% ao ano, e para atender o franqueado com todo esse crescimento, a empresa resolveu assumir o serviço, que poderia ser feito por uma equipe terceirizada, para entregar qualidade e pontualidade aos franqueados e consumidores.
“Como o crescimento foi muito expressivo e gerava um trabalho excessivo e às vezes não conseguíamos no mercado uma empresa que nos atendesse, começamos a criar uma estrutura de atendimento ao franqueado”, destacou o empresário.
Ele explicou que, atualmente, a marca conta com uma logística própria e atende todo o Brasil, sendo que a cada 15 dias caminhões da empresa entregam produtos em todas as lojas. Além disso, a Chiquinho Sorvetes tem uma agência de publicidade que faz toda a comunicação do grupo, uma empresa de desenvolvimento de software, na qual todo o sistema é próprio do negócio e ainda um escritório de arquitetura que faz a padronização das unidades franqueadas.

Como uma empresa tradicional resiste às tendências do mercado?

Em constante movimento e transformação, o mundo do empreendedorismo busca sempre se adaptar à nova realidade e estar preparado para possíveis adversidades. Neste cenário existem as chamadas tendências de mercado que, para Isaias Bernardes são importantes e geram concorrência, mas no caso do setor gastronômico não fizeram com que a Chiquinho Sorvetes deixasse de lado a sua essência.
“O nosso foco sempre foi o nosso modelo de negócio. Sempre surgem algumas tendências e os franqueados se preocupam muito com a concorrência, mas aí eu falo que nosso modelo de negócio já está definido e nós não vamos sair disso. O sorvete se especializou em nicho de negócio. Se você não tiver foco em um nicho, começa a trabalhar com todos e aí acaba não sendo bom em nenhum”, ressaltou.

Como é desenvolvida a área de investimentos da franquia?

Gerar ganho de escala e principalmente lucro é uma das principais metas de todo empreendedor, no caso da Chiquinho Sorvetes, esse processo de investimentos acontece de acordo com os tipos de unidades da rede.
Bernardes explicou que a empresa tem alguns modelos de negócio como lojas de shopping; lojas de rua; quiosques externos; e unidades feitas especialmente para cidades pequenas e que tenham acima de 25 mil habitantes. Ele ainda destacou que o valor do investimento na franquia vai depender do tamanho da loja e da intervenção que tem que ser feita para criar a unidade.
“É de R$ 350 a R$ 500 mil reais o investimento que se enquadra no nosso modelo de negócios. Já a média de faturamento por loja está em cerca de R$75 mil reais, agora por região pode chegar a mais de R$100 mil. Além disso, nós trabalhamos de 15% a 20% o lucro por loja, mas também tem franqueado que consegue mais”, revelou o empresário.

Quais as perspectivas de negócios para o futuro?

Com um desenvolvimento rápido e saudável no universo empresarial e mantendo o padrão de excelência em atendimento e qualidade dos produtos, a Chiquinho Sorvetes não deixa de olhar para o futuro e como será a realidade do ramo gastronômico, em especial, o nicho das sorveterias.
“Estamos abertos ao crescimento, nos estruturamos para isso e o objetivo é consolidar a marca em todo o território nacional e existe muito espaço para este crescimento”, finalizou Bernardes.
*Artigo produzido pelo Papo Raiz – uma conversa descontraída e divertida sobre empreendedorismo e assuntos em alta na sociedade.

Enquete

As ferramentas de IA estão se tornando cada vez mais populares e acessíveis, com diversas opções disponíveis para diferentes necessidades. Qual delas você mais utiliza?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão