Thumbnail

A Koin é uma fintech especializada em soluções de Buy Now Pay Later (BNPL). Crédito: Freepik.

Investimentos

Fintech Koin capta R$ 36,6 milhões para ampliar o crédito em operações de turismo no Brasil

GazzConecta
02/04/2024 15:30
A Koin, fintech especializada em soluções de Buy Now Pay Later (BNPL), captou R$ 36,6 milhões por meio de um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) com o objetivo de crescer a operação de crédito ao consumo. A operação foi estruturada e distribuída pelo banco Itaú.
De acordo com Daniel Lozano García, CFO da Koin, o funding vai ser usado para incrementar a área de antecipação de recebíveis de lojistas do setor de turismo. “É o primeiro FIDC para fomentar o acesso ao crédito para compras online relacionadas ao serviço de turismo no Brasil”, destaca em nota. Com um time de mais de 350 pessoas, distribuídas pelo Brasil, México, Argentina, Colômbia e Uruguai, a Koin atua em toda a América Latina.
Os FIDCs são fundos de investimento que destinam acima de 50% do seu patrimônio líquido em aplicações nos chamados direitos creditórios. Nessa operação, a Koin é originária dos direitos creditórios e exerce a função de agente de cobrança do fundo, com o objetivo de prover financiamentos dentro do BNPL (com recebíveis não provenientes de cartão de crédito).
Com o FIDC, a Koin pretende ampliar a base de consumidores que acessam ao crédito para consumo, por meio do BNPL. A modalidade permite que os clientes comprem o produto ou serviço e paguem por ele depois, de forma parcelada. “É um financiamento de curto prazo ao consumidor, no qual o valor total da compra é repassado à empresa e o cliente divide os pagamentos, sem comprometer o limite do cartão de crédito, porque os pagamentos podem ser realizados com pix e boleto, por exemplo”, explica o executivo.
A captação vem em linha com a estratégia da fintech que, após atingir o breakeven em 2023, se prepara para a segunda fase de expansão este ano, que envolve crescer a oferta de serviços antifraude na América Latina. “Nossa expectativa é de maior apetite de consumo da população, em razão da redução da taxa básica de juros no Brasil, o que tende a impulsionar o e-commerce em volume e ticket médio, exigindo plataformas de transações cada vez mais seguras e simples”, destaca o Garcia.
Além disso, a fintech reforçou as áreas de operações, bem como seu motor de crédito proprietário, que envolve toda a tecnologia e a inteligência responsável pela automatização dos processos de decisão. “Queremos proporcionar uma experiência de compra mais fluida para os consumidores dos nossos parceiros”, completa.

Enquete

Estes são os temas mais procurados em relação a cursos sobre inteligência artificial no momento. Se você tivesse que escolher um deles, qual seria sua opção?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão