Thumbnail

SXSW Pitch

Conheça Cris Alessi, a curitibana que é conselheira do SXSW Pitch, um dos maiores eventos de inovação do mundo

GazzConecta
17/03/2023 11:40
Graças aos esforços para tornar a capital paranaense uma das cidades mais relevantes para o ecossistema de startups no Brasil, Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, foi convidada a participar do seleto grupo de conselheiros do SXSW Pitch, uma das maiores vitrines de investimento para startups nascentes de todo o mundo.
Além de Cris, o Brasil conta com mais dois conselheiro na edição de 2023, Pedro Vasconcellos, de Belo Horizonte, e Phillip Trauer, do Valor Capital Group de São Paulo.
A indicação para o conselho veio da própria representante do South by Southwest (SXSW) no Brasil, Tracy Mann, em 2021. O Brasil é um dos países com grande representatividade no SXSW, mas até 2023, nenhuma startup nacional havia chegado à final do SXSW Pitch. Neste ano, foram duas finalistas brasileiras, entre elas a curitibana AMA - Agentes do Meio Ambiente, que ganhou o prêmio especial de melhor bootstrap da edição no último domingo, dia 12.
O convite para integrar o advisory board do SXSW Pitch veio depois de Tracy reconhecer em Cris, à frente da Agência Curitiba, o trabalho incessante de fomentar o ecossistema de startups não só na capital do Paraná, por meio do Vale do Pinhão, mas também em todo o Brasil. Com sua aprovação, Cris ganhou duas tarefas: a de fomentar ainda mais a participação de startups brasileiras no evento e fazer a avaliação de startups de outros países para a definição dos finalistas do SXSW Pitch.
Cris participa da seleção de três de sete categorias, levando em consideração pontos como criatividade, impacto e relevância dos projetos das startups inscritas. Cada conselheiro ao redor do mundo recebe uma lista com mais de cem empresas para a seleção. A definição dos finalistas é feita pela organização do SXSW Pitch e a divulgação dos concorrentes é feita sempre no mês de janeiro de cada ano.
A edição de 2023 foi a segunda da qual Cris participa como conselheira. Para este ano, segundo ela, foi feito um grande trabalho de divulgação no país, especialmente em Curitiba, para que as startups se inscrevessem na competição. O resultado foi excepcional, segundo ela, com duas brasileiras selecionadas para a final - além da AMA, a paulistana lyga também esteve entre as finalistas.
“Em 15 edições, pela primeira vez o Brasil esteve representado na final do SXSW Pitch. Este é um salto importante e está alinhado com a diversidade de países procurada pelo evento. Com essa conquista, ampliamos a visibilidade das startups brasileiras para o mundo, especialmente para grandes grupos de investidores que fazem parte do corpo de jurados do evento, e que já veem no país um ecossistema muito rico de startups”, revela.
Para Cris, o convite para participar do conselho, que veio de um dos curadores do SXSW Pitch, Chris Valentine, é uma grande oportunidade de ampliar a visibilidade para o ecossistema de startups do país e fomentar a diversidade e pluralidade de startups do Brasil e da América Latina no evento. “Além de uma honra, é uma grande responsabilidade também estar no advisory board. Mas esta é uma oportunidade para que, cada vez mais, a inovação do Brasil, as startups brasileiras possam estar representadas e tenham um papel de destaque nesta grande vitrine que é o SXSW”, completa.

Enquete

Estes são os temas mais procurados em relação a cursos sobre inteligência artificial no momento. Se você tivesse que escolher um deles, qual seria sua opção?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão