Thumbnail

Como construir uma carreira internacional foi o tema central do Women Talks desta quinta-feira (11).

Alta de 360% em buscas por trabalho remoto

Home office permite carreira internacional: saiba como construí-la

GazzConecta, com colaboração de Millena Prado
12/02/2021 16:56
Que a pandemia impulsionou e popularizou o home office não é uma novidade, mas trabalhar em casa quebra também as fronteiras para quem deseja construir uma carreira internacional. Exemplo disso é que as buscas por trabalhos remotos na rede social LinkedIn cresceram 360% de março de 2020 a janeiro deste ano.
“A pandemia ajudou a enxergar que não existem barreiras para a contratação e internacionalização de talentos”, destacou Victoria Figueira, people partner do Glovo, durante o Women Talks, evento online e gratuito realizado nesta quinta-feira (11).
O bate-papo desta quinta, promovido pela plataforma de fomento a lideranças femininas Women Leadership, em parceria com o GazzConecta, recebeu também a head comunicação do LinkedIn Erica Firmo e Isa Quartarolli, CEO da Women Leadership.
Isa Quartarolli, Vicky Figueira e Erica Firmo debateram quais os passos para construir uma carreira fora do Brasil. Foto: Reprodução
Isa Quartarolli, Vicky Figueira e Erica Firmo debateram quais os passos para construir uma carreira fora do Brasil. Foto: Reprodução

Quero uma carreira internacional, e agora?

Protagonismo é a palavra de ordem segundo as especialistas quando buscar um trabalho fora do Brasil. Construir uma carreira internacional não tem uma regra, formação específica ou fórmula mágica, mas é preciso estar preparado para enfrentar desafios culturais e de adaptações com o idioma.
Quando você está em uma corporação que pode proporcionar uma carreira internacional, é preciso comunicar o desejo aos gestores, explica Erica Firmo. “O primeiro passo é entender que nem sempre o momento propício para você é o momento propício para a empresa. Tenha uma comunicação aberta com o chefe, diga seus planos e como pode contribuir para a corporação trabalhando em um outro país”, detalha. 
Na visão de Victoria, é necessário também planejar e se preparar todos os dias para uma oportunidade internacional. “O caminho é o que você pode fazer hoje para quando chegar a oportunidade. O desafio da adaptação é tão grande que é importante fazer muitas coisas antes de viajar para minimizar os efeitos de uma grande mudança”, adverte.
Os objetivos na carreira também são importantes para superar as barreiras da adaptação, pois diferente do pensamento coletivo de que outro país leva a uma vida luxuosa, o impacto de uma nova cultura no ambiente de trabalho pode interferir no desenvolvimento profissional.
“Temos a visão que estar fora do Brasil é glamuroso, mas todo o processo é difícil, desde a documentação, cultura, compras do dia a dia. Há um caminho de aprendizado e autoconhecimento”, explica Firmo. 
Segundo as especialistas a língua pode parecer uma das maiores barreiras quando o profissional decide sair do Brasil, mas o principal é se fazer entender com conhecimento técnico da função que deseja exercer.
“Um limitador de oportunidades de carreira internacional é a língua. Além de falar um idioma é preciso ter disposição para errar e aprender. Quando se tem autoconfiança ninguém vai te segurar, não importa se tem inglês avançado ou intermediário, isso empodera. Mas investir na língua é um primeiro grande passo”, incentiva Erica.

Diploma é fundamental? 

Na visão de Victória Figueira, o diploma na área que se deseja atuar é importante para adquirir habilidades técnicas para executar as funções e, na maioria das vezes, empresas tradicionais exigem diplomação para contratar. Mas, para a especialista, empresas da nova economia, como startups, conferem maior relevância às habilidades práticas e experiências do candidato.
“Uma titulação não é imprescindível. O que faz totalmente a diferença é o networking. O título em si não é o que vai mudar sua carreira. Investir nas habilidades que fazem diferença é muito mais que o título e a universidade. Na hora da entrevista é preciso provar que conhece a função e tem experiência", destaca Figueira.

Women Talks

O primeiro evento da temporada 2021 do Women Talks debateu os desafios da liderança feminina em empresas milionárias, com a presença de Luanna Toniolo, CEO da Troc, e Maria Teresa Fornea, fundadora da Bcredi.
A próxima edição do evento será realizada no dia 25 de fevereiro.

Enquete

As ferramentas de IA estão se tornando cada vez mais populares e acessíveis, com diversas opções disponíveis para diferentes necessidades. Qual delas você mais utiliza?

Newsletter

Receba todas as melhores matérias em primeira mão